Liliana Borges

03/12/2021

 

S. CUCUFATE, Ruínas Romanas…

 

Continuando a viagem promovida pela Universidade Sénior do Montijo…

Após sairmos da “Cidade Museu”, a bela Évora, seguimos à Vila de Frades, Concelho de Vidigueira no Distrito de Beja na região do Alentejo para visitarmos as Ruínas Romanas de São Cucufate, situadas a cerca de 60 km de Évora e 187 km de Lisboa. 

 A propriedade nos reporta ao primeiro século da era cristã com magníficas edificações originariamente criação romana. Após sete anos de escavações os estudiosos descobriram que o casarão sobrepunha a duas outras vilas, as quais foram construídas uma sobre a outra em momentos diferentes.

 A primeira vila foi edificada em meados do século I d.C., posteriormente demolida e a segunda em meados do século II, mais adiante na metade do século IV foi erguida a suntuosa vila palaciana que suas ruínas enchem nossos olhos atualmente. As vilas eram predominantemente agrícolas, onde cultivavam oliveira, vinha e cerais.

A grandiosa casa possui dois pisos, o superior era a moradia dos senhorios e a parte inferior seria o espaço que guardavam sua produção. A herdade era tão importante e rica que possuía termas e templo próprios, além de dois reservatórios de água em que um deles era para o consumo e outro para fins de armazenamento, abastecidos por aquedutos. 

Na altura os romanos já possuíam habilidade em reutilizar a água para as regas dos campos e jardins, na localidade também produziam azeite e vinhos que provavelmente era fonte de abastecimento de outras vilas na região. Destacaram-se entre os povos da antiguidade na engenharia, arquitetura, arte da guerra, entre muitos outros conhecimentos, e assim, deixaram inúmeros legados pelos territórios conquistados.

O local teve períodos de abandono, em meados do século V e na altura da Idade média foi instalado um Mosteiro de S. Cucufate, como também, na época das guerras entre Muçulmanos e Cristãos pela posse de Beja, mais na frente o Mosteiro foi restaurando em 1255, sendo doado aos Frades de São Vicente de Fora, em decorrência a região é nominada por Vila de Frades.  

São Cucufate era um jovem que nasceu em Scillium, era uma província romana no norte da África, começou a estudar e se apaixonou pela doutrina cristã, tornou-se soldado romano e pregava seus saberes. Daí passou a incomodar os Imperadores, Galério Maximiliano o condenou a fogueira.

Diz a lenda que no momento de sua execução ocorreu forte chuva, o qual não padeceu, mas após teria sido desventrado e enforcado. Entretanto, acredita-se que ele foi decapitado em Barcelona na província de Sant Cugat del Vallès que recebeu seu nome em homenagem.

O cenário na propriedade por si só nos conta sua história durante os 2000 anos de existência, onde pessoas viveram momentos felizes ou difíceis, trabalhos árduos ou para alguns talvez tenha sido apenas um lugar de passagem, provavelmente, belas histórias de amor, crianças a brincar enriquecendo a paisagem, ou ainda, religiosos a cultuar suas crenças… 

 Não se sabe o nome de seus proprietários, nem muito menos quantas famílias viveram lá, mas sabemos que naquele local ao longo dos tempos teve vida, arte, cultura, forte atividade econômica, religião tudo em harmonia com a natureza…

Como seria o cotidiano desta gente?

Lugar encantador para nossa imaginação fluir…