Liliana Borges

10/07/2021
 
AVEIRO, Veneza Portuguesa…
 
 
Aveiro é uma bela cidade localizada na região centro de Portugal, situada aproximadamente 63 km de Coimbra, 76 km de Porto, ou ainda, 255 km de Lisboa. Capital do Distrito que leva o mesmo nome, como também, é sede do Concelho que é subdividido em 10 freguesias com cerca de 78.000 habitantes.
 
Tive a oportunidade de visitar esta cidade em um domingo ensolarado, belo dia de verão, onde havia muitas pessoas nas suas ruas, cafeterias, restaurantes, porém cumprindo as normas estabelecidas para o combate da pandemia.
 
Além do céu azul e turistas voltando aos poucos, estava acontecendo a famosa Feira das Velharias que naturalmente movimenta o local ao longo do Canal do Côjo próximo ao Fórum Aveiro (Centro Comercial) prosseguindo até o Cais da Fonte Nova. Entre as antiguidades expostas há sempre relíquias ou peças que alguém desapegou e são repassadas para quem as desejem por preços justos.
 
Aveiro é conhecida como a Veneza Portuguesa, cercada por canais que por aqui são as rias e suas graciosas embarcações, os moliceiros, lembram as gôndolas italianas, ambos são muito charmosos. Um passeio ao longo dos canais nestes barcos podemos admirar a magnífica paisagem em sintonia com a natureza, edificações, obras de arte, e uma boa porção de sua história.  
 
Estacionei meu carro próximo a Praça Marquês de Pombal, na sequência paramos para tomar um cafezinho e tive uma agradável surpresa quando entrei em uma graciosa cafeteria “M Bakery Aveiro”, lugar lindamente decorado em cada canto e recanto de seu espaço em harmonia com painéis de rosas que são apenas detalhes diante de seus deliciosos doces e iguarias, assinados por Susana Tomé “Cake Designer”, simplesmente indescritíveis…
 
Cabe destacar os saborosos e tradicionais doces da pastelaria aveirense, os renomados “ovos moles”. Originários dos conventos existentes até o século XIX, onde as religiosas utilizavam a clara do ovo para engomar seus hábitos e, assim, aproveitavam as gemas. Eram feitos com água, açúcar, gema do ovo e cobertos com hóstia.
 
Mais adiante fizemos o tradicional passeio a bordo de um moliceiro ao longo de seus canais por uma das empresas que disponibilizam o tour “Aveiro Moments”, conduzido pelo Mestre Rui Felício e Elsa Neves que nos presenteou com seus vastos conhecimentos. 
 
Moliceiro é uma das três embarcações típicas da região que servia para transportar moliços, os quais são algas que utilizavam para fertilizar os campos, duas outras são o mercantel usada no transporte de sal até 18 toneladas e a beteira mais pequenina para a pesca. Atualmente são os moliceiros que incrementam o cenário proporcionando uma pequena viagem no túnel do tempo junto e misturado com a modernidade.
 
A água nos canais é salgada, as comportas servem para as renovar, nivelar e permitir a entrada e saída de barcos. Durante o passeio poderemos observar as marinhas que são destinadas a obter o sal por evaporação dissolvido na água.
 
 Na região existe 3 tipos de sal: o tradicional, o sal marinho; a flor do sal que é a camada muito fina de espuma que existe em cima das águas nas marinhas, este é o primeiro a ser recolhido porque está na superfície e é o mais caro devido a pouca quantidade; o terceiro é a salicórnia, planta que tem sabor salgado usado para substituir o sal nas saladas cortadinhas como se fosse picles.
 
Existe a “zona classificada” que significa qualquer empreendimento que for construir naquele local tem que seguir a forma dos armazéns como eram as edificações antigas e tradicionais, e assim, preserva a história e a tradição do bairro, embora que os materiais sejam modernos. Portugueses como sempre preservando seu passado…
 
Curiosamente as pessoas da cidade de Aveiro são chamadas de cagaréus, pois a bordo dos barcos passavam a maior parte do tempo, onde comiam, dormiam, trabalhavam, namoravam e no fundo da embarcação era uma zona nominada como “cagarete” que era o espaço atrás do barco conhecida como: “de cu ao léo” ou “cu a amostra de toda a gente”. 
 
Tudo por lá é muito conservado como a Antiga fábrica de cerâmica, onde funciona a Câmara Municipal, centro de emprego, centro de congressos, escola profissional, sala de espetáculos, café, restaurante que se tornou um centro cultural e de serviços na cidade e, ainda, em Aveiro foi construído o primeiro shopping da Europa ao céu aberto em 1999.
Aveiro é capital da defesa da arte nova que possui três características: ferro trabalhado, pedra trabalhada e o azulejo pintado a mão. Tudo tem que ser trabalhado a mão para ser classificado como “arte nova”. Por estas terras tudo termina em arte, cultura e história… 
 
Cantos e Recantos Lusitanos, ENCANTADORES…