Natália Bonavides pede à PGR que investigue esquema de propina das vacinas

01/07/2021


Foto: Reprodução

A deputada federal Natália Bonavides (PT/RN) protocolou no STF uma notícia de fato em desfavor do presidente Jair Bolsonaro e do diretor de logística do Ministério da Saúde, Roberto Ferreira Dias, solicitando que a PGR investigue os indícios de corrupção e associação criminosa no Ministério da Saúde pelas acusações de Roberto Ferreira Dias ter pedido propina para fechar o contrato da aquisição de vacinas.

“Apresentamos notícia de fato para que o governo Bolsonaro seja investigado pelo esquema de propina e rachadinha das vacinas. Que a investigação seja aberta imediatamente. Engavetar investigações com indícios tão fortes é crime de responsabilidade”, destacou Natália Bonavides.

De acordo com matéria do jornal Folha de São Paulo, publicada pela jornalista Constança Rezende, o representante da Davati Medical Supply, Sr. Luiz Paulo Dominguetti Pereira, disse em entrevista que a empresa Davati buscou a pasta para negociar 400 milhões de doses da vacina da AstraZeneca com uma proposta feita de US$ 3,5 por cada. Na ocasião, o diretor de logística do Ministério da Saúde afirmou que a contratação com o Governo Federal só ocorreria se a empresa participasse de um grupo que teria como hábito majorar o valor dos produtos ofertados ao Ministério.

As revelações corroboram os elementos indiciários já apresentados à Comissão Parlamentar de Inquérito do Senado (CPI da COVID), uma vez que o servidor do setor de Logística do Ministério da Saúde, Luis Ricardo Miranda, disse ter ouvido falar que um fornecedor de vacinas recusou a realização de um negócio após a solicitação de propina por parte do representante do Governo Federal.