Liliana Borges

25/06/2022

 

CIDADE DO ROCK, Rock in Rio Lisboa…
 
 
O Parque Bela Vista situado em Lisboa possui uma área de 85 ha com extensa zona arborizada recortada por caminhos e elevações que possibilitam uma linda vista panorâmica da cidade e do Tejo. Este local em alguns períodos é transformado em uma suntuosa “Cidade do Rock”, um dos maiores eventos da música no país o “Rock in Rio Lisboa”.
 
O festival foi adiado por dois anos em decorrência da pandemia e em 2022 voltou com todo seu esplendor na sua 9ª edição, cultura e emoção a flor da pele. O acesso ao local pode ser pelo metrô na “linha vermelha”, “Estação Bela Vista” e mais uma pequena caminhada por volta de 10 minutos até o parque, além de ser muito tranquilo com a segurança que nos encanta, pois Portugal continua entre os países mais seguros do mundo na sexta colocação.
 
Logo que chegamos à festa temos a primeira ideia da dimensão do evento que é composto por vários palcos, sendo o principal o “Mundo” e mais o “Galp Music Valley”, “Yorn” e “Rock Your Street”. Locais de grande concentração, mas todos assistem aos espetáculos musicais confortavelmente desde o “gargarejo” ou “front station” até as subidas das encostas que tem uma boa visão.
 
A estrutura muito organizada com diversos serviços como bebedouros; vários pontos de banheiros; praças de alimentação; quiosques de bebidas, como também, muitos vendedores ambulantes lindamente fantasiados com suas marcas; estandes de venda de souvenirs, lembranças do “RockRio”; torres para carregar celulares ou telemóveis como chamam por aqui; patrocinadores com seus espaços decorando harmonicamente o ambiente, onde oferecem mimos aos participantes da festa… 
 
Ademais muitas opções de diversão a exemplo a roda gigante; tirolesa que desce na altura do palco principal “Mundo”; uma graciosa vila colorida que está localizado um dos palcos “Rock Your Street” e ao longo de sua rua circula muitas atrações como grupos de danças, batucadas contagiantes ao som de tambores, malabaristas, acrobatas entre outras…
 
Cabe ressalta que os organizadores não esqueceram do meio ambiente com espaço de recolha de lixo, lixeiras por todos os lados, ambulantes graciosamente com equipamento adequado para recolher resíduos separados por categoria para reciclagem e, ainda mais, frequentemente limpeza das vias e recintos.
 
Quanto as filas não poderiam deixar de existir, pois um evento que acolheu o público de 137 mil pessoas no primeiro fim de semana, sendo o primeiro dia por volta de setenta e quatro mil é impossível de não ter aglomerado de cidadãos aguardando sua vez, porém fluíam rapidamente sem tumultos.
 
Tive a oportunidade de conhecer o festival em companhia de amigos no domingo, 19 de junho, neste dia houve 29 atrações distribuídas nos quatro palcos conforme registro no site “musicfast.pt”, entretanto foi necessário fazer algumas escolhas porque seria impraticável assistir todos. Começamos pelo cantor português David Carreira que abrilhantou o show com seu desempenho no “Palco Mundo”.
 
Neste mesmo espaço na sequência foi Ivete Sangalo que estava deslumbrante vestida no azul turquesa até o sapato, distribuindo sua energia contagiante, simplesmente, esplendorosa. Ela emocionou desde os brasileiros, portugueses a todos de diversas nacionalidades que lá estavam. É muito difícil descrever nossa emoção e a dela também, pois vem de longo período sem pisar nos palcos, além de dois carnavais suspensos que nunca havíamos imaginado tal situação. 
 
Disse ela: “Eu tava com tanta saudade de tá aqui…desde a primeira vez que botei os pés aqui em 98 e de lá para cá este nó só aumenta, a gente está misturado, junto, apaixonado…depois dessa pandemia a gente tem mais é que cantar, dançar, sorrir e se relacionar porque a gente só é feliz em grupo, galeraaaa…”
 
“…quando a gente quer ser respeitada, a gente respeita, então eu vou respeitar a grade do festival porque outros colegas vão cantar, mas a minha vontade mesmo era botar um pijama e ficar aqui até de manhã…”
Mais adiante no mesmo Palco, Ellie Gouding, cantora e compositora inglesa. Começou aos 9 anos a tocar clarinete e daí seguiu uma próspera carreira. Em 2010 lançou seu primeiro álbum de estúdio e estreou em primeiro lugar UK Albums Chart que vendeu mais de 850.000 cópias no Reino Unido, entre muitos sucessos.  “Love Me Like You Do” foi uma de suas belas músicas que tive a alegria de está presente no momento e curtir.
 
Entre outras atrações que assisti foi a cantora Iza, compositora, apresentadora e publicitária brasileira. Seu show foi no Palco Galp Music Valley, quem fez um belo espetáculo. Seu primeiro álbum, “Dona de Mim”, foi lançado em 2018 e recebeu uma indicação ao Grammy Latino de Melhor Álbum Contemporâneo em Língua Portuguesa. 
 
Ao final do dia no palco principal “Mundo”, apresentou-se “The Black Eyed Peas”, grupo de origem americana de Los Angeles na Califórnia com segmento musical o Hip Hop, R&B e de Música Eletrônica. O grupo fechou á noite em grande estilo com suas conhecidas canções acompanhadas pelo público, entre elas em um dos pontos altos do show “I Got a Feeling”, segundo “Keeping Track” a primeira dos 10 maiores hits do grupo.
 
Parabéns a todos que fazem acontecer este magnífico festival! 
 
Um dia muito bem passado como falam os portugueses, sem mais palavras…
 
Confira o vídeo sobre o assunto no meu canal no YouTube: LILIANA BORGES EM PORTUGAL: https://youtu.be/KYPK1VbGBUg