Liliana Borges

11/06/2022

 

AZEITE, Cooperativa Agrícola de Moura e Barrancos…

 

A Cooperativa Agrícola de Moura e Barrancos está situada em Moura no Baixo Alentejo, a cerca de 210 km de Lisboa. O município é fronteiriço com a Espanha pertencente ao Distrito de Beja com uma população de 13.259 habitantes (2021), aproximadamente, a 13 km da Barragem do Alqueva localizada no Rio Guadiana que é considerada o maior reservatório de água da Europa Ocidental.

A região é renomada pela excelente qualidade de sua produção de azeite com a classificação DOP, “Denominação de Origem Protegida”, pois o produto é agraciado com nome da localidade que tipicamente o originou, e assim, o “Azeite de Moura”, foi o primeiro em Portugal qualificado nesta categoria que atualmente existem 6 no país. Curiosamente, o “Vinho do Porto” é o DOP mais antigo do Mundo.

Conhecemos a Cooperativa por iniciativa do Professor Isidoro Santana da Disciplina de Organizações e Cidadania na Universidade Sénior do Montijo quem organizou a Visita de Estudo em que nos juntamos a sua programação. Fomos guiados pelo Senhor Henrique Herculano, Diretor de Operações e Marketing da Cooperativa quem nos presentou com seus preciosos conhecimentos.

Esta é a maior cooperativa de azeite em Portugal que produz por volta de 5% de todo o azeite do país, fundada em 1954 e possui cerca 1330 associados, onde sua produção na campanha olivícola 2021/2022 bateu os dez milhões e meio de litros de azeite, referente ao recebimento de sessenta e dois milhões de quilos de azeitonas.

Sua produção é superior a vários países como a França, Portugal é o sexto maior produtor do mundo, sendo autossuficiente cerca de 160%. O primeiro é a Espanha por volta de 1,4 milhões de toneladas seguidamente da Tunísia, Itália, Turquia, Grécia e depois Portugal.

A qualidade do azeite está relacionada a vários fatores, desde as variedades das azeitonas ao controle de qualidade como o grau de acidez. Diante de diversas variedades como as Cordovil, Galega, Verdejal Alentejana, entre outras resultam sabores mais amargos, picantes, como também, mais suaves. A azeitona está para o azeite como a casta está para o vinho, assim, azeitonas diferentes, sabores e características diferentes.  

Os azeites antes de ser embalados serão analisados por um laboratório externo para a análise sensorial que verificará se tem alguma fermentação ou oxidação, como também, para a aferição do grau de acidez e sua capacidade de suportar ou não tempo engarrafado.

Nosso guia fez algumas sugestões que seria interessante considerar no ato da compra para nosso consumo como observar as variedades das azeitonas, caso for DOP sempre será as mesmas variedades, sobretudo alguns azeites na embalagem estão especificados “intenso” ou “suave” que já diz naturalmente sua categoria e a acidez quanto mais baixa melhor.

Cabe ressaltar que o grau de acidez é apenas um dos critérios para sua avaliação e não necessariamente se possuir um grau de acidez baixa será o de melhor qualidade, pois poderá possuir um defeito sensorial, desta forma seria um engano quanto sua categoria.

Atualmente nem todos os produtores identificam o grau de acidez na embalagem, a acidez é apenas um indicador. Não há necessidade de procurar a acidez no rótulo, se for classificado como “Extra Virgem”, naturalmente, a acidez é baixa e sem defeito. Entretanto os azeites que possuem a acidez 0,2 ou 0,3 são muitos bons, normalmente, mas não quer dizer que o de menor acidez seja o melhor. Ainda, mais uma sugestão, o “Azeite Virgem” é ideal para refogar e o “Extra Virgem” para temperar.

Finalizando nossa visita fomos saborear as iguarias alentejanas no restaurante “O Aficionado” em Amieira na rua de Évora, 7220, em que apreciamos um delicioso “Bacalhau à Narciso” e “Lombo de Porco Assado com Laranja”, como sobremesa uma deliciosa “Vieneta de Chocolate e Baunilha”, simplesmente deliciosos.

Um dia muito bem passado com agradáveis convívios, recheado de cultura e conhecimentos. Fechamos a visita enchendo nossos olhos com a bela vista panorâmica na “Amieira Marina” no Lago Alqueva com uma porção da magia do Alentejo…

 

Confira o vídeo sobre o assunto no meu canal no YouTube: LILIANA BORGES EM PORTUGAL:

https://youtu.be/hZ1QGM8lfo8