“Estamos pelo menos 35, 40 anos atrasados”, diz Eduardo Rocha, palestrante de evento sobre a SAF

28/06/2022


Foto: Arquivo

 

O Conselho Deliberativo (CD) do América realiza nesta quinta-feira, 30, às 19h, na sede social da Rodrigues Alves, palestra sobre a Lei da SAF, Sociedade Anônima do Futebol. Serão palestrantes o desembargador federal Eridson Medeiros, vice-presidente do TRT da 21ª Região e o advogado Herbet Miranda Pereira Filho, diretor jurídico do América Futebol Clube.

 

O evento é aberto para sócios, conselheiros, diretoria, funcionários do clube e convidados do CD e da diretoria executiva. A mediação será do ex-presidente do América e da Liga do Nordeste, o desembargador federal Eduardo Serrano da Rocha. “Estamos pelo menos 35, 40 anos atrasados em relação a outros países”, diz o mediador do evento.

 

Segundo Eduardo Rocha, a palestra será um momento de debate e não significa que o América  esteja planejando tornar-se empresa neste momento. “O objetivo é destrinchar, conhecer a Lei”, completa o palestrante.

 

De acordo com Rocha, que também é conselheiro do clube, a transformação dos clubes em empresa traz uma série de benefícios, mas é uma relação que deve ser pensada tanto pelo clube quanto pelo investidor.

 

No entanto, ele enumera uma série de vantagens e cita exemplos de clubes como o Bragantino (SP), Cuiabá (MT) cujo sucesso credita à inciativa a adesão à Lei da SAF. “A Lei não é boa, nem é má”, diz, ao citar benefícios como a possibilidade de redução da taxa tributária, de captação de recursos junto ao mercado financeiro através da Bolsa de Valores.

 

Além disso, lembra, o investidor não fica com o patrimônio do clube e a questão das dívidas também é estabelecida nos parâmetros da Lei. “É uma legislação que chega tardia ao Brasil”, diz, ao citar o exemplo europeu, onde o futebol está mais desenvolvido que o brasileiro.  “Se vai fazer ou não (a adesão à SAF) é uma questão de decisão de cada clube”, reforça.