“Boto minha cara no fogo por Bolsonaro”, diz candidato ao governo de São Paulo

28/06/2022


Foto: Reprodução/UOL

 

Em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, Tarcisio Gomes (Republicanos), candidato ao governo de São Paulo e ex-ministro da Infraestrutura, comentou o escândalo no Ministério da Educação e eximiu o presidente Jair Bolsonaro (PL) de culpa. Parafraseando o atual chefe do executivo federal, Tarcisio ressaltou que "põe a cara no fogo” pelo mandatário. 

 

Indagado pela jornalista Cátia Seabra, da Folha de S.Paulo, sobre uma possível participação de Bolsonaro no esquema fraudulento, Tarcísio Gomes enfatizou sua confiança no aliado, afirmando que o ex-capitão não teve qualquer interferência no caso. “Não acredito que ele [Bolsonaro] tenha qualquer interferência, qualquer vínculo, qualquer ligação com esse problema do MEC. Pelo presidente eu ponho, claro. Sem sombra de dúvidas”, disse. 

 

A pergunta da repórter faz referência a uma declaração do próprio Bolsonaro, quando ele enalteceu sua confiança no ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, afirmando que “colocaria sua cara no fogo” pelo colega. Após a prisão de Ribeiro, no entanto, o mandatário alterou o discurso, salientando que, se a Polícia Federal o prendeu, deve haver um motivo. 

 

Milton Ribeiro e os pastores Arilton Moura e Gilmar Santos, além do advogado Luciano Musse e o ex-assessor da Prefeitura de Goiânia Helder Bartolomeu foram presos na última semana, mas tiveram a liberdade decretada pelo TRF-1 na quinta-feira (23). Todos são investigados pelo "gabinete paralelo" estabelecido no MEC, com indícios de pagamento de propina e atuação de lobistas no processo de liberação de verbas do ministério a municípios.