Em discurso, Biden chama Putin de ditador e acusa a Rússia de cometer genocídio na Ucrânia

14/04/2022


Foto: poder360.com.br

 

Em pronunciamento oficial em um comício no estado de Iowa, nesta quarta-feira (13), Joe Biden, presidente dos Estados Unidos, falou sobre a guerra no Leste Europeu, que já se estende por 50 dias. De acordo com o mandatário norte-americano, o governo de Vladmir Putin está cometendo um “genocídio” na Ucrânia. 

 

O comentário de Biden foi suscitado após o mandatário analisar o aumento de preço dos combustíveis, que foi fomentado depois da invasão das tropas russas ao território ucraniano. Ainda conforme palavras do presidente, o seu governo não está poupando esforços para lidar com a “manipulação”promovida por Putin. 

 

"Estou fazendo tudo ao meu alcance com ordens executivas para baixar os preços e lidar com a manipulação de preços causada por Putin. O orçamento de suas famílias, sua capacidade de encher o tanque, nada disso deve depender de um ditador declarar guerra e cometer genocídio do outro lado do mundo", acrescentou, em referência a Putin e à Ucrânia”, ressaltou Biden. 

 

Nas últimas semanas, Biden, o qual já classificou Putin como “carniceiro”, vem subindo o tom contra o presidente russo e o Kremlin, acusando-os de cometerem crimes de guerra contra civis do país vizinho. Questionado sobre os mais de 250 corpos encontrados na cidade de Bucha, o mandatário americano classificou o ato justamente como “crimes de guerra”. 

 

Em relação às ações bélicas das tropas russas, de acordo com relatório produzido pelo Departamento de Estado Americano, uma investigação formal foi finalizada, a qual teve o objetivo de apurar se o exército russo cometeu atos de genocídio contra a população local. Caso sejam confirmados, os responsáveis podem responder a processos criminais nos tribunais dos EUA ou em nível internacional.