Zelensky se recusa a discutir termo de “desnazificação” da Ucrânia

28/03/2022


Foto: oglobo.globo.com

 

Em entrevista a jornalistas russos independentes, neste domingo (27), Volodymyr Zelensky, mandatário ucraniano, falou sobre os termos propostos pela Rússia para o estabelecimento de uma negociação de paz. Segundo o presidente, não há possibilidade de se sentar com os emissários russos se o interesse deles for a “desnazificação” da Ucrânia. 

 

O motivo da declaração de Zelensky foi suscitado a partir de uma das justificativas de Vladimir Putin para invadir o território ucraniano, que seria livrar os cidadãos do país dos genocidas e nazistas que comandam o governo. A alegação do presidente russo tem sido rejeitada por historiadores e analistas políticos. 

 

“Não vamos nos sentar à mesa se tudo o que falamos é alguma ‘desmilitarização’ ou alguma ‘desnazificação’. Para mim, são coisas absolutamente incompreensíveis”, disse Zelensky.

 

Conforme registrado por Zelensky, o qual se mostrou disposto a aceitar a neutralidade do país, a diplomacia ucraniana pediu que esse termo específico de desnazificação, bem como de “desmilitarização”, concernentes às tratativas, fossem retirados do possível acordo. Segundo o mandatário, essas cláusulas não se mostram substanciais para a promoção do cessar-fogo. 

 

De acordo com o Kremlin e com o Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia, a próxima rodada de negociações entre os países do Leste Europeu, que já estão em guerra há mais de 1 mês, acontecerá nesta terça-feira em Istambul, na Turquia. Sobre esse encontro, Zelensky declara: “Não sou contra conversas com a Rússia, desde que haja um resultado. Mesmo antes do confronto, eu defendi o diálogo”, concluiu.