Moro sobre ida de Lula e Bolsonaro aos debates: “Quero ver se terão coragem de olhar olho no olho"

11/03/2022


Foto: redebrasilatual.com.br

 

Em entrevista à CNN Brasil, nesta quinta-feira (10), o ex-juiz Sérgio Moro (Podemos) falou sobre a possibilidade de retirar sua pré-candidatura à Presidência da República. O ex-ministro da Justiça também comentou sobre os eventuais debates que poderá ter com Lula e Bolsonaro, seus principais concorrentes no pleito deste ano. 

 

Moro ressaltou que não vai desistir da corrida ao Palácio do Planalto, uma vez que isso significaria abandonar uma proposta para o Brasil. "Não existe essa possibilidade [de retirar pré-candidatura], seria desistir de mudar o Brasil. Não existe qualquer possibilidade, muita gente tem medo da minha pré-candidatura, de me enfrentar nos debates, mas tenho a dizer que vou até o fim. Com Lula e Bolsonaro, eu, pelo menos, vou até o fim", declarou o presidenciável. 

 

No que concerne à possibilidade de enfrentar Lula e Bolsonaro em eventuais debates, Moro salienta que a presença deles é fundamental para dizer o que pretendem para o povo brasileiro, mas insinua que os rivais poderão ter “medo” de estabelecer o confronto direto. “Tenho muita coisa para dizer a eles, quero ver a presença deles. Se vão ter medo ou coragem, de olhar no olho, é dever de todo pré-candidato ou candidato, dependendo da época, se apresentar e dizer o que pretende e o que já fez no passado. Se não forem, eles têm medo da população brasileira. Eles devem prestação de contas”, disparou o ex-juiz de Maringá. 

 

Em relação à sua atual colocação nas últimas pesquisas, em que aparece abaixo dos principais postulantes à presidência, Moro adota uma postura de serenidade, negando estar preocupado com o resultado parcial. "A campanha nem começou. Estamos em março e as pessoas acham que a eleição de outubro já está resolvida. Estamos lá, pontuando nas pesquisas em terceiro lugar", disse Moro. 

 

Por fim, questionado sobre o caso do deputado estadual Arthur do Val (Podemos-SP), que poderá ser cassado pela legenda devido à fala sexista acerca das mulheres ucranianas, Moro, de forma sucinta, reafirmou seu posicionamento, deixando claro o erro do colega de legenda. "O que aconteceu agora mudou tudo".