“Putin não vai parar na Ucrânia”, afirma presidente da Lituânia

07/03/2022


Foto: moneytimes.com.br

 

Em conversa com Antony Blinken, secretário de Estado Norte-Americano, nesta segunda-feira, o presidente da Lituânia, Gitanas Nauseda, fez um alerta sobre a suposta motivação do governo russo no que concerne à invasão à Ucrânia. De acordo com o mandatário lituano, caso não haja um impedimento dos países ocidentais no conflito no Leste Europeu, poderá haver uma guerra em escala global. 

 

Como justificativa à sua afirmação, Nauseda ressaltou ao diplomata, o qual está em turnê pelos países bálticos, que é obrigação das nações filiadas à OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) intervir no confronto, uma vez que Vladimir Putin tem intenções imperialistas. "Ele (Putin) não vai parar na Ucrânia. O mundo tem a obrigação de ajudar os ucranianos por todos os meios disponíveis”, disse. 

 

A Lituânia é um dos membros da OTAN e, na última semana, enviou ajuda militar à Ucrânia, além de ter acolhido um pequeno contingente de refugiados ucranianos desde que a invasão da Rússia teve início, ainda em 24 de fevereiro. "Quero dizer, de fato, todos os meios se quisermos evitar a Terceira Guerra Mundial. A escolha está em nossas mãos", declarou o presidente Nauseda. 

 

Conforme palavras de Blinken, que ainda vai visitar Letônia e Estônia nesta terça-feira, as ofensivas das tropas russas simbolizam um desafio aos princípios básicos arquitetados para a manutenção da paz entre as nações. "É importante que as pessoas entendam o que está realmente em jogo e vai além da Ucrânia, dos países bálticos, da Europa", salienta Blinken.