Transmissão da COVID-19 chega ao pico no Rio Grande do Norte sendo a segunda maior desde 2020

20/01/2022


Foto: Reprodução

Desde o início da pandemia em 2020 que o estado do Rio Grande do Norte tem a segunda maior taxa de transmissão da Covid-19, a informação é do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde da UFRN (LAIS/UFRN). O mês de janeiro tem sido marcado no aumeto de casos positivos e na demanda por testes em laboratórios privados, e superlotação na rede pública de saúde. No boletim divulgado nesta quarta (19), pela Secretaria estadual de saúde (SESAD), já havia sido registrados 1.304 novos casos de covid, o maior número de 2022.

De acordo com a subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde Pública do RN Diana Rêgo, há uma transmissão comunitária da variante ômicron, o que faz a secretaria pensar na abertura de novos leitos, já para esta quinta (20), o que será divulgado os locais onde serão reabertos. “Continuamos em alerta. Foi diante desse número de casos que saiu esse decreto do passaporte vacinal. Embora não tenhamos um número grande de pessoas internadas, nos preocupamos que esse número de casos vá superlotar os hospitais. A regulação está prevendo a reabertura de mais leitos já se precavendo de possíveis aumentos de internações”, disse.

Uma outra preocupação é a síndrome gripal, que somadas às duas doenças, a taxa de ocupação de leitos críticos chegou a atingir 73,95% na última terça-feira (18), obtendo a taxa mais alta desde 25 de junho de 2021, quando a plataforma LAIS/UFRN, monitorava apenas os leitos críticos para covid-19. Atualmente, a taxa de ocupação exclusivamente para covid está em 50% de ocupação dos leitos críticos para covid. A região Metropolitana já alcança índices maiores, de 61,8%. Oeste e Seridó estão com 38,9% e 20,0%, respectivamente.