Deputado Ubaldo propõe Audiência para discutir segurança na Ponte Newton Navarro

02/04/2019


Foto: Divulgação
 
Com o tema “A Ponte não é o fim”, representantes de vários segmentos da sociedade discutirão, na Audiência Pública proposta pelo Deputado Ubaldo Fernandes (PTC), soluções emergenciais para aumentar a segurança na Ponte Newton Navarro e inibir o alto índice de suicídios cometidos no local. “Não podemos deixar que um cartão postal tão bonito quanto esse seja lembrado por tragédias e por falta de projetos que garantam mais segurança a pedestres e motoristas. Por isso vamos lutar pela implantação, o mais breve possível, de redes de proteção ao longo da Ponte”, disse o Deputado.
 
A Audiência Pública está marcada para a próxima quinta-feira (04), às 14h, no Auditório Deputado Cortez Pereira da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte. Foram convidados representantes do governo do Estado, da área de saúde e de ONGs relacionadas à valorização da vida. “Precisamos fazer com que se cumpra uma decisão da Fazenda Pública de Natal, que determinou a construção de uma tela de proteção para segurança dos pedestres. Esta decisão nunca foi cumprida e temos que saber o porquê”, explicou Ubaldo Fernandes. Além da tela, o Deputado acredita que outras medidas de segurança possam ser aplicadas para evitar acidentes.  
 
Desde 21 de novembro de 2007, quando a ponte foi liberada para o trânsito, são muitas as notícias de acidentes e de pessoas que se atiraram da Ponte Newton Navarro. Embora não se tenham dados oficiais sobre o assunto, estima-se que 20 pessoas se jogam do local por mês e que mais de 250 mortes tenham ocorrido desde a inauguração. Os suicidas que se atiraram da “Ponte de Todos” acreditam que, ao se lançar de uma altura de 55 metros, a possibilidade de sobrevivência é muito pequena. “O projeto desta Ponte foi muito mal elaborado. Não levou em conta aspectos importantes de segurança, como o parapeito, por exemplo, que é muito baixo, servindo de escada para quem quiser subir”, disse Altamiro Pessoa Júnior, irmão de uma das últimas vítimas de suicídio na Ponte, morta em fevereiro.