TCE negocia parceria com IFRN para qualificar fiscalização de obras públicas

27/07/2018


Foto: Viktor Vidal

O Tribunal de Contas do Estado criou um grupo de trabalho com Instituto Federal do Rio Grande do Norte para formatar uma proposta de parceria institucional com objetivo de qualificar a fiscalização no setor de obras públicas. A intenção do TCE é contar com o apoio de laboratórios e estrutura do IFRN para garantir o controle tecnológico das auditorias na área de construção civil e qualificar a análise de materiais e insumos utilizados pelos entes fiscalizados nas obras.

A criação do grupo de trabalho foi acertada nesta terça-feira (24), durante visita do presidente do Tribunal, Gilberto Jales, acompanhado da secretária de Controle Externo, Anne Carvalho, e do diretor da Inspetoria de Controle Externo, José Monteiro, à sede do Instituto. A comitiva foi recebida pelos pró-reitores de Planejamento, Marcos Antônio de Oliveira, e de Administração, Juscelino Cardoso de Medeiros, além do professor do curso de Estradas, Ênio Fernandes Amorim, e dos técnicos Ricardo Coelho e Adriano Lopes.

“Sabemos que o IFRN tem pessoal capacitado e estrutura nessa área, por isso viemos em busca de apoio”, afirmou Jales, ressaltando que outros tribunais de contas no país têm parcerias semelhantes. Ele falou ainda sobre o exemplo do TCE de Goiás, que montou um laboratório próprio e já colhe resultados positivos. “Faz uma diferença gigantesca”.

Após ouvir os argumentos técnicos, o pró-reitor de Planejamento, Marcos Oliveira, deu as diretrizes para a criação do grupo de trabalho, designando para as atividades o professor Ênio Amorim, Erivan Sales do Amaral (gerente de projetos da Fundação de Apoio à Educação e ao Desenvolvimento Tecnológico do RN), além de José Monteiro representando o TCE. “Tenho certeza que será uma parceria bastante profícua”, disse.

O professor Ênio Amorim assegurou que o IFRN dispõe de capacidade técnica e de trabalho para auxiliar o Tribunal e sugeriu que a proposta seja elaborada com base nas necessidades das auditorias, já que os laboratórios são utilizados servem na maior parte do tempo à aplicação de aulas práticas aos alunos do Instituto. Uma nova reunião será agendada para apresentação da proposta.

Fonte: Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte