Presidente do CEPE Natal faz balanço de sua administração

01/11/2016

Por: Redação do PN
Foto: Tiago Rebolo
Uma das marcas de sua gestão tem sido a transparência. Como o senhor administra esta vertente de sua administração à frente do CEPE?
A sociedade vem cobrando cada vez mais transparência. Aqui no Clube, como nós lidamos com recursos oriundos dos nossos associados, temos que prestar contas desse dinheiro. A maneira prática que eu achei foi confeccionar um cartaz aqui nas entradas das nossas sedes social e administrativa, com o demonstrativo financeiro de todo o ano anterior. O associado, então, pode ter acesso a isso, analisar e questionar a diretoria caso tenha alguma dúvida. Todo gestor deve colocar isso em prática.
 
O CEPE recebeu mais uma edição da Festa dos Ex-Alunos do IFRN. Fale sobre este evento.
Essa já é uma festa tradicional aqui no Clube. Agora em 2016, foi promovida a sétima edição desse encontro dos ex-alunos da saudosa Escola Técnica Federal do Rio Grande do Norte, hoje IFRN. É uma oportunidade de haver o reencontro dos ex-alunos que estudaram juntos. Parte significativa dos funcionários da Petrobras e dos nossos associados é composta por ex-alunos daquela instituição. É um bom encontro, para que possamos bater papo e relembrar os momentos vividos na escola.
 
De que se tratou o Festival de Queijos e Vinhos, que aconteceu neste ano?
Essa é uma ideia surgida aqui no Clube há dois anos e que está sendo implantada agora. A primeira edição aconteceu no dia 3 de setembro, foi aberta ao público e foi um sucesso. Esperamos que seja mais um item para agregar valor ao departamento social do CEPE. Esperamos que o associado venha usufruir deste momento tão importante da nossa culinária.
 
Há um calendário fixo de eventos no CEPE. Fale a respeito.
O ano começa com o tradicional baile de carnaval, que em 2017 terá a sétima edição. Trata-se de uma oportunidade para relembrarmos os velhos carnavais, é um carnaval de clube. Em seguida, nós temos um evento comemorativo do aniversário do CEPE, que é abril. Passamos pelo Dia das Mães, pela tradicional festa junina, pelo Dia dos Pais no mês de agosto e também temos o encerramento no final do ano. É um calendário de eventos bastante variado, por meio do qual buscamos trazer para os associados momentos de lazer com qualidade.
 
Para atender melhor os associados, quais melhorias na infraestrutura do Clube estão sendo feitas?
Apesar das dificuldades econômicas que o país e as empresas estão passando, não paramos em nenhum mês este ano as nossas obras no Clube. Todas elas são realizadas com recursos próprios, com dinheiro oriundo dos nossos associados. Essas obras são para proporcionar aos nossos associados e ao público que nos prestigia melhores instalações e maior conforto. Agora mesmo, por exemplo, estamos trabalhando na relocação da quadra de futevôlei (de areia) para aumentarmos a área de convivência social. Isso porque, aos domingos, quando temos música ao vivo, a procura tem sido muito grande e o espaço está ficando pequeno.
 
O que tem marcado a sua gestão à frente da FCEPE?
A Federação dos Clubes dos Empregados da Petrobras congrega trinta e oito clubes no Brasil inteiro. A sede fica no Rio de Janeiro. Nós assumimos a federação há um ano e meio, e o que vem caracterizando a nossa gestão é o trabalho de reestruturação financeira. Atualmente, a FCEPE está estabilizada e bem sedimentada.