Evandro Borges

18/06/2021
 
Um encontro com a educação  rural de São Tomé
 
 
Realizei uma viagem pela área rural de São Tomé acompanhado da Secretária Municipal de Educação, Cultura e Desporto Ana Edileuza Dantas e da equipe técnica de órgão visitamos as Escolas Municipais da comunidade rural de Espinheiras, Ingá de Santa Luzia e na Serra do Lameiro, com uma visão magnifica de final de tarde da área rural de São José e Mundo Novo e corria uma brisa fria acolhedora.
 
O Município de São Tomé/RN com uma população no último censo de 10.827 habitantes, com uma área 863 km² e uma densidade demográfica 12,6 habitantes por quilômetros quadrados, com uma forte zona rural habitada, mesmo no semiárido nordestino, com as estradas carroçáveis demonstrando que a vegetação está precocemente perdendo a folhagem para enfrentar os tempos sem precipitações pluviométricas.
 
A primeira Escola Municipal a ser visitada foi Aldemir Marques, em Espinheiras com ensino infantil e fundamental dos anos iniciais, de 1º ao 5º e com turmas do Aprender Mais com forte mobilização social de iniciativa dos animadores/bolsistas, uma bela Escola, com piso de porcelanato, boas salas de aula, cozinha equipada, banheiros, sala dos professores, completamente arejada, em excelentes condições.
 
Em Ingá de Santa Luzia uma comunidade rural de maior concentração populacional está sendo construída uma nova Escola, com recursos próprios da municipalidade em face de muita austeridade trilhada pelo Prefeito Anteomar Pereira da Silva (Babá) que também preside a FEMURN, uma obra com orçamento de R$ 239.957,24  já praticamente concluída.
 
A nova Escola Municipal Joventino Pereira situado no Ingá de Santa Luzia fica distante da sede do Município a vinte quilômetros, está toda em piso de porcelanato, com meia parede de cerâmica, duas salas amplas de 6 x 8m, com janelas todas arejadas e preparadas para receber ar condicionados, sala dos professores, cozinha com gás encanado e já construído a casa do gás, pátio interno, banheiros, toda murada com grades um belo prédio arquitetônico vai funcionar o ensino fundamental e o programa Aprender Mais.
A visita da tarde foi na Serra do Lameiro, vislumbrando a cidade de São Tomé que ficou pequenina da visão lá de cima da Serra, a Escola Municipal se chama Antônio Marcelino, toda equipada a bela cozinha, com duas salas de aulas, inclusive com internet, do Programa Educação Conectada, e recebe o ensino fundamental dos anos iniciais.
A Escola do Lameiro Antônio Marcelino é aberta a comunidade, recebe as ações da saúde, reuniões das Associações, do programa do leite conveniado com a EMATER para os educandos, missas e cultos, um verdadeiro centro de convenções da comunidade, como dever ser as Escolas Públicas, abertas para a participação observando a pluralidade da cultura local.
 
O encontro com a educação rural foi inesquecível associada à beleza da paisagem do semiárido e das serras, das casas brancas das famílias de agricultores e agriculturas familiares, das porteiras que se abria, o zelo no trato das Escolas pelas professoras, animadores, da equipe técnica da secretaria, dos pais dos educandos, do riso estampado das crianças, dos programas que estão sendo executados, se buscando a inclusão social e a formação da cidadania.
Foi um encontro com a educação rural inesquecível!