“Não há problemas em o ministro da Educação continuar; são apenas indícios”, declara Mourão

23/03/2022


Foto: brasil247.com

 

Atendendo aos jornalistas, em sua chegada ao Palácio do Planalto, o vice-presidente Hamilton Mourão (Republicanos) comentou sobre o áudio vazado de Milton Ribeiro, ministro da Educação, em que o dirigente sugere que o presidente Jair Bolsonaro (PL) pede prioridade no destino de verbas a prefeitos que são pastores evangélicos. De acordo com o general da reserva, “há apenas indícios que precisam ser comprovados”. 

 

A fim de ratificar seu parecer, Mourão, que recentemente declarou que estabelece um relacionamento meramente protocolar com Bolsonaro, enaltece o bom comportamento de Milton Ribeiro e o respeito que nutre pelo responsável da pasta da Educação. “Enquanto não houver um esclarecimento bom a respeito disso aí, acho que não há problema dele continuar no governo, até pela forma como o ministro se comporta. Eu tenho profundo respeito por ele”, salientou. 

 

Em relação à informação do jornal O Estado de São Paulo, o qual denunciou um suposto trabalho de assessoria que os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura desempenham no MEC, mesmo sem possuírem cargos públicos, o vice-presidente adotou o mesmo tom de cautela. “Eu não sei desse assunto. Isso aí tudo por enquanto são indícios. Quando se confirmar, a gente pode tomar uma posição mais clara”, afirmou

 

Ainda sobre o áudio em que o ministro Milton Ribeiro se refere ao “pedido especial” de Bolsonaro para atender a esses políticos/religiosos, o qual foi exposto pelo jornal Folha de São Paulo, Mourão aponta uma possibilidade de alteração no material. "É preciso saber se houve uma edição”, comenta o general de forma sucinta.