Idosos a partir dos 60 anos podem receber a D4, recomenda Comitê Científico do RN

09/03/2022


Foto: Pref.Ituporanga/SC

 

O Comitê de Especialistas da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) sugeriu 12 novas recomendações diante da apresentação das tendências e estratégias de controle da Covid-19 no Rio Grande do Norte. O documento foi divulgado na terça-feira (8).

Diante do novo cenário em que a taxa de ocupação dos leitos de UTI está na média de 29% no estado, além da estabilidade de casos confirmados e diminuição do número de óbitos diários, o Comitê Científico fez suas recomendações que servirão de base para as tomadas de decisões do Governo do Rio Grande do Norte no próximo decreto.

Uma das recomendações que o Comitê destacou foi o início da campanha de vacinação da D4 para idosos a partir de 60 anos. Sobre a retirada da obrigatoriedade do uso de máscaras faciais, instituída há quase dois anos no estado, o Comitê recomenda o uso facultativo do uso em ambientes abertos, mantendo a obrigatoriedade em espaços fechados ou abertos com aglomerações de pessoas.

Entre as recomendações estão ainda: manutenção do passaporte vacinal, estímulo à vacinação das crianças de 5 a 11 anos, busca ativa da população que está atrasada em relação à segunda e terceira doses ou que ainda não foi vacinada e reforçar o uso das máscaras no transporte público

"O comitê analisou todo o cenário, com redução de casos e da procura por leitos, que possibilita o início da flexibilização do uso das máscaras. Mas, devemos destacar que a exigência do passaporte vacinal continua, que precisamos avançar na vacinação seja de pessoas que não foram convencidas da importância da vacinação, seja as pessoas que não procuraram os postos de saúde para tomar a terceira dose, seja os jovens onde a gente também precisa aumentar essa cobertura", disse o secretário de saúde Cipriano Maia.

Durante a reunião, pontos importantes como a segurança da vacina, manutenção dos cuidados coletivos e a vigilância foram norteadores para as novas recomendações.  "Precisamos ainda estar atentos às pessoas com sintomas respiratórios, que tem que ficar em isolamento, se sair para situações extremas, tem que usar máscara. Isso é responsabilidade, é cuidado com o outro, é cuidado com o coletivo. A gente quer que a população tenha consciência de que essa situação confortável precisa ser mantida. E pra ser mantida, todos nós, autoridades, profissionais de saúde e população tem que manter essa atitude responsável de se proteger e proteger os outros", disse o secretário de saúde.