Chapa Lula-Alckmin: PSOL só aceitará composição se o PT fizer programa de esquerda

23/01/2022


Foto: em.com.br

 

De acordo com informações apuradas pelo jornal Folha de São Paulo, o PSOL está fazendo exigências para aceitar a composição de chapa presidencial entre Lula (PT) e Geraldo Alckmin (sem partido). Segundo relatos de bastidores, a fim de apoiar a indicação do ex-tucano como vice, a cúpula da legenda exige que o programa de governo do PT esteja alinhado às pautas da esquerda. 

 

Apesar do descontentamento inicial pela presença do ex-governador de São Paulo na chapa, inclusive exposta por Guilherme Boulos, personalidade do partido e líder do Movimento dos Sem-Teto (MTST), o PSOL está disposto a ratificar a parceria. Conforme apresentado na coluna da jornalista Mônica Bérgamo, após reunião, o PSOL estabeleceu alguns aspectos fundamentais que serão apresentados ao PT, tais como a revogação de teto de gastos, forte agenda ambiental e revisão de reformas feitas nos governos de Michel Temer (MDB) e Jair Bolsonaro (PL). 

 

Em princípio, os ‘pedidos’ do PSOL no que concerne à agenda petista estão em acordo com as pautas defendidas pelo ex-presidente Lula. No entanto, a preocupação dos psolistas é a de que o perfil do ex-governador de São Paulo, mais conservador (à direita), atrapalhe as estratégias e propostas de base progressista. 

 

Caso os pontos aferidos sejam atendidos pelo programa de governo de Lula e do PT, o PSOL, segundo consta, deverá ‘tolerar’ a aliança com o ex-tucano. Pela primeira vez, desde 2004, ano de fundação do partido, o PSOL não lançou candidatura própria. Em 2018, Guilherme Boulos, o qual é pré-candidato ao governo de São Paulo, foi o indicado.