Cefas Carvalho

15/07/2020
 
E Natal venceu o Covid-19 e voltou à normalidade (E viva a Ivermectina!)
 
 
Ufa, depois de tantos meses de tensão, isolamento, mortes. e, principalmente e mais grave, paralisação das atividades econômicas em Natal, a bela e próspera capital potiguar, venceu o vírus e começa a voltar à normalidade, com o setor produtivo aberto e pujante e as pessoas nas ruas a celebrar alegremente a vida e o livre ir e vir para aproveitar as belezas da cidade noiva do sol. 
 
Peço desculpas aos leitores e leitoras pela ironia e pelo cinismo do parágrafo inicial. Um cinismo, porém, que não chegou nem perto do que foi mostrado ao vivo e a cores em entrevista de tv pelo prefeito de Natal Álvaro Dias, em sustentar que não apenas Natal estava vencendo o Covid-19, como iria desativar leitos de UTI (posto que desnecessários já que a doença foi vencida) e tudo isso graças a um remédio específico, a Ivermectina.
 
Pois é... EUA, Reino Unido contando os mortos, América do Sul com países com curva crescente de contágios e óbitos, e foi aqui em Natal onde a solução para diminuir os casos e a taxa de ocupação de leitos de UTI foi encontrada, graças a meia dúzia de médicos geniais e ao nosso prefeito, que certamente terá nos próximos tempos encontros com Trump e Boris Johnson para explicar ao Primeiro Mundo o seu feito na capital potiguar e desde já se credencia ao Nobel de Medicina.
 
Novamente peço desculpas por insistir no cinismo, mas é que fica difícil tratar desse assunto sem ser irônico. Até as paredes dos prédios históricos em ruínas da Ribeira sabem que Álvaro está vivendo a pré-campanha para sua reeleição full time, 24h por dia e que resolveu de vez capitalizar político-eleitoralmente a questão da pandemia. Com os números aumentando, ele jogava a culpa no Governo do Estado. Com diminuição de casos e óbitos, o mérito é dele e de seu remédio milagroso.
 
Sabe aquilo de "cara eu ganho, coroa você perde"? É como Álvaro está jogando. O problema é que está jogando com a população do município. Faz parte, dirão alguns, para quem é lícito politizar tudo, nos moldes de Bolsonaro e Trump que no início da pandemia em vez de se portarem como presidentes se fizeram de representantes de remédios, com a famigerada cloroquina. 
 
Menos mal para Álvaro que parte da população de certa forma pensa como ele. Mais que isso, também prefere maquiar a realidade e se convencer que em Natal, "a pandemia já passou". VIveremos então em nossa distopia tropical sob as bençâos do Morro do Careca. Nada mais de Covid-19 em Natal, como quer o prefeito. E viva o fim do vírius. E viva a Ivermectina.