Reforma trabalhista de Rogério Marinho maquiou o desemprego, diz Freitas Junior

28/06/2022


Em entrevista ao Potiguar Notícias, nesta terça-feira (28), o pré-candidato ao senado Freitas Junior (PSOL) criticou o ex-ministro Rogério Marinho (PL) e o ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves (PDT). Também defendeu o Supremo Tribunal Federal em relação aos ataques que vem recebendo nas redes bolsonaristas.
 
"O (ex-deputado) Rogério Marinho, hoje também pré-candidato bolsonarista, inclusive o Carlos Eduardo também defendia isso, eles diziam que a reforma trabalhista ia reduzir o desemprego. Na verdade não, ela maquiou o desemprego", disse o pré-candidato. Sobre os ataques que o Supremo Tribunal Federal (STF) tem enfrentado, o candidato afirmou que, "quem ataca o Supremo na realidade está atacando a democracia".
 
Apesar de ter defendido o Supremo, Freitas Junior criticou o Judiciário. "Ainda é muito branco, é muito elitizado e é muito distante da população brasileira, que é uma população feminina, negra e pobre. O Supremo deveria ser mais feminino, mais negro  e deveria absorver e dar voz ao direto dos pobres", argumentou o pré-candidato. 
 
Questionado pelo apresentador Evandro Borges sobre a Constituição Brasileira, o pré-candidato afirmou que, "enquanto a gente tiver crianças passando fome, enquanto a gente tiver gente morrendo na fila do SUS, a gente ainda não vai ter a constituição sendo aplicada, a gente ainda não vai ser um país democrático", disse.
 
Dentre as propostas de campanha, caso eleito, Freitas Junior planeja acabar com a política de preços e adotar uma política de valorização do salário minímo. Na educação, pretende "destinar ementas para que sejam contruidos centros municipais de educação infantil, universalizar as vagas de creches, retomar pela expansão da rede Federal e lutar pela politica de permanência, para que o aluno pobre tenha condição de começar e terminar o seu curso".
 
Assista a entrevista completa: https://www.youtube.com/watch?v=r5pOqgnt5Ro