"A tendência da disputa presidencial é a polarização entre Lula e Bolsonaro", afirma Kassab

27/05/2022


Foto: agenciabrasil.ebc.com.br

 

Em entrevista à Folha de São Paulo, Gilberto Kassab, presidente nacional do PSD, falou sobre a última pesquisa de intenção de voto para a corrida presidencial e comentou acerca das possibilidades da terceira via no pleito. De acordo com o ex-prefeito de São Paulo, os números ratificam que a tendência é de polarização entre Lula (PT) e Jair Bolsonaro (PL) nas urnas. 

 

Apesar de adotar uma postura de desconfiança em relação à terceira via, Kassab admite que o cenário ainda pode ser alterado, levando em consideração o tempo que falta para as eleições. “Vejo, e a própria pesquisa mostra isso, que em uma polarização tão clara, há muita dificuldade de surgir uma alternativa. Tem vezes que o cenário muda em uma semana, imagine quatro meses”, ressaltou. 

 

No que se refere à pesquisa, a qual mostra um crescimento do ex-presidente Lula, Kassab aponta que o resultado está em consonância com a insatisfação dos brasileiros com o governo federal, sobretudo no que tange à esfera econômica e o tratamento da pandemia. 

 

“Os números mostram aquilo que todos previam. A economia está trazendo enormes dificuldades para o Bolsonaro, pois é a principal preocupação dos brasileiros. O nível de desemprego continua muito alto, a inflação, em especial nas camadas menos favorecidas, também é expressiva e dificulta a recuperação do poder aquisitivo. Ouvimos infelizmente as histórias de pessoas que não comem mais carne, que trocam carne por ovo. Tem o problema do combustível. Tudo contribui para a pesquisa”, enfatizou Kassab. 

 

O ex-mandatário paulista, que expôs uma divisão no partido entre alas lulistas e bolsonaristas, tentou lançar uma candidatura própria para o PSD. Inicialmente, a ideia seria o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), que desistiu da disputa. Em outro momento, Kassab acenou com a candidatura de Eduardo Leite (PSDB), mas o ex-governador do Rio Grande do Sul preferiu permanecer no PSDB.