“Não tenho medo de me reunir com Putin”, diz Zelensky sobre possível negociação direta com o rival

24/04/2022


Foto: atibaiaconnection.com.br

 

Em pronunciamento oficial, neste sábado (23), o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, comentou sobre o atual estágio da guerra entre o seu país e a Rússia, que já se estende por dois meses. Em relação às tratativas de paz, o mandatário admitiu a possibilidade de se encontrar com Vladimir Putin, a fim de promover negociações diretas visando o cessar-fogo. 

 

Na exposição aos cidadãos, Zelensky, que tem reiterado suas críticas no que se refere a um suposto projeto imperialista orquestrado pelo Kremlin, acusou a Rússia de ter começado o conflito bélico e que ela, nesse sentido, também pode finalizá-lo. "Acredito que quem começou a guerra poderá pôr fim nela. Eu não tenho medo de me reunir com o presidente russo, se isso permitisse alcançar um acordo de paz entre os dois países”, declarou. 

 

Apesar de sugerir um eventual encontro com Putin, Zelensky repetiu o mesmo discurso da semana anterior, quando afirmou que a possível morte de soldados ucranianos na cidade de Mariupol colocaria um ponto final em qualquer chance de negociação de paz. "Se nossos homens forem assassinados em Mariupol e se forem organizados supostos referendos na região de Kherson [no sul], a Ucrânia vai se retirar de todo processo de negociação", disse o mandatário. 

 

No que concerne ao referendo de Kherson, que consiste na proclamação, por parte da Rússia, da independência de algumas regiões separatistas da Ucrãnia, Zelensky salientou que o anúncio dessa medida por parte do governo de Putin também será condicionante para o fim do diálogo sobre o encerramento do conflito. "Se eles destruírem nosso povo em Mariupol, se um pseudorreferendo for proclamado em novas pseudorrepúblicas, a Ucrânia se retirará de qualquer processo de negociação", enfatizou o presidente