Nos pênaltis, Atlético/MG leva a melhor contra Flamengo e é campeão da Supercopa do Brasil 2022

20/02/2022

Por: Zidney Marinho
Foto: Divulgação / Clube Atlético Mineiro

 

Deu Galo! O Atlético/MG é o campeão da Supercopa do Brasil 2022. Após um 2 x 2 eletrizante com o Flamengo, na Arena Pantanal, em Cuiabá, o time mineiro conquistou o título na disputa por pênaltis – igualmente eletrizante. O Rubro-negro teve a chance do título por quatro vezes, mas desperdiçou todas.

A Supercopa do Brasil é uma competição que ocorre em jogo único entre os campeões do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil do ano anterior – se o mesmo clube vencer os dois campeonatos, o que foi o caso do ano passado, o vice-campeão do Brasileirão disputa a final com este clube.

Nos 90 minutos, Nacho Fernández colocou o Galo em vantagem, aos 41 minutos do primeiro tempo. Na segunda etapa, o Flamengo virou o jogo com gols de Gabigol – aos 10 minutos – e Bruno Henrique, aos 18. Depois, aos 29, Hulk chutou forte para deixar tudo igual.

Nos pênaltis, nenhum jogador perdeu pênalti nas cinco primeiras cobranças de cada equipe. Na sexta cobrança do Atlético/MG, Guga cobrou no canto direito do goleiro Hugo, que defendeu a cobrança. Para o Flamengo, era fazer o gol e correr para o abraço. Willian Arão chutou forte – no meio do gol – e o goleiro Everson defendeu, evitando o título do time carioca. Na sétima série de cobranças, Jair – para o Galo – e João Gomes, para o Flamengo, marcaram. Na oitava, o goleiro Everson bateu e isolou a bola. De novo, o Rubro-negro só precisava fazer o gol para ser campeão. Matheuzinho chutou forte e rasante, no meio do gol. Everson caiu para o lado esquerdo, mas a bola explodiu em suas pernas, subiu e tocou no travessão. Mais uma vez, o Flamengo – literalmente – bateu na trave.

Na sequência, Nathan Silva e Léo Pereira converteram seus pênaltis. Após isso, na décima série de cobranças, Mariano cobrou mal e Hugo defendeu. Dessa vez, estava nos pés de Fabrício Bruno a chance do título rubro-negro. O zagueiro, porém, isolou a bola. Dando prosseguimento ao show de pênaltis perdidos, Godín jogou para fora o pênalti do Galo, na 11ª série de cobranças. Apenas o goleiro Hugo podia cobrar o pênalti do que seria o título do Flamengo. O arqueiro foi para a cobrança e chutou para fora – a bola ainda raspou no travessão.

Em seguida, Hulk cobrou e deu fim a sequência de pênaltis perdidos – colocando o Galo em vantagem. Agora, o Flamengo não podia perder o pênalti. Vitinho foi para a cobrança e Everson defendeu, dando o título para o Atlético/MG.

Com o título, o Galo embolsou R$ 5 milhões. Já o Flamengo recebeu R$ 2 milhões.