Energia eólica: novo empreendimento no RN terá investimento de R$ 2,3 bilhões

17/02/2022


Foto: Divulgação / Engie

 

Com investimentos de R$ 2,3 bilhões, mais um megaempreendimento na área de energia limpa e renovável será instalado no Rio Grande do Norte. Trata-se do Conjunto Eólico Santo Agostinho, que está sendo montado nas cidades de Lajes e Pedro Avelino, com capacidade para 434 Megawatts. O cronograma do projeto e os planos de futuros investimentos da empresa – a Engie Brasil Energia – foram apresentados à governadora Fátima Bezerra nesta quarta-feira (16).

O megaempreendimento contará com 70 aerogeradores com 170 metros de altura para produzir 6,2 MWh por unidade, o que representa o triplo do produzido pelos equipamentos atualmente utilizados. Os investimentos futuros da empresa previstos para os próximos cinco anos no estado somam R$ 6,5 bilhões.

“O governo está de portas abertas para avançar nas parcerias, que são importantes para o desenvolvimento de nosso Estado neste momento de transição energética. O Estado é parceiro da iniciativa privada e está fazendo o papel que lhe cabe, com transparência, com senso de responsabilidade, com segurança jurídica e preocupação social. Nosso governo preza muito pela relação com a sociedade, nossa matéria-prima é o diálogo”, afirmou a governadora Fátima Bezerra.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Jaime Calado, reforçou a fala da governadora: “O governo do Estado está estimulando hoje a construção do presente e do futuro com o que há de mais moderno em tecnologia no planeta. O RN está na linha de frente e deverá continuar assim por causa de investimentos dessa ordem, dessa qualidade, com preocupação social e ambiental”.

A Engie – que se instalou no RN em 2017 – tem dois empreendimentos fotovoltaicos em funcionamento: o Assu V – que produz 30MW – e o Floresta, em Areia Branca, de 101MW. Os empreendimentos futuros são os parques solares Assu Sol; Assu I, II, III e IV e o Santo Agostinho Solar, de acordo com informações de Márcio Neves (diretor de operação) e Giuliano Pasquali (gerente de projetos), ambos da Engie. Segundo o cronograma apresentado à governadora Fátima Bezerra, o primeiro aerogerador entra em operação em setembro, chegando a 14 até o fim do ano.

“Nossa empresa tem como característica os investimentos de longo prazo, a responsabilidade social e as parcerias com Estados e municípios”, afirmou o presidente da Engie Brasil, Eduardo Sattamini. Ele acompanhou a reunião de forma virtual e elogiou a postura do governo do RN.

A Engie é a maior empresa privada de energia do Brasil. Ela atua em geração, comercialização e transmissão de energia elétrica, transporte de gás e soluções energéticas, sendo detentora da mais extensa malha de transporte de gás natural do Brasil, com 4.500 quilômetros – que atravessam 10 estados e 191 municípios.