RN prorroga campanha de vacinação contra a febre aftosa até 30 de dezembro

14/12/2021


Foto: Divulgação

 

O Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária do Rio Grande do Norte (Idiarn) prorrogou a segunda etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa. Segundo o instituto, a meta é que até 2023 o estado retire a obrigatoriedade da imunização e adquira o status de livre da doença sem a vacina.

A febre aftosa é uma doença causada por vírus que provoca febre e aftas, principalmente na boca e entre os cascos dos animais, causando enorme perda na produção de leite e carnes.

Com a autorização do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o produtor potiguar terá até o dia 30 de dezembro para adquirir a vacina e até 15 de janeiro para declarar o rebanho. Segundo o Idiarn, nesta etapa, a vacinação é obrigatória apenas para os animais de 0 a 24 meses.

O produtor cadastrado junto ao Idiarn deve adquirir a vacina em uma das lojas autorizadas, vacinar os animais e declarar o rebanho em um dos escritórios do órgão, da Emater ou das secretarias municipais de Agricultura.  

O RN, que conta com mais de 1 milhão de animais, é reconhecido internacionalmente como um estado livre da febre aftosa com vacinação, pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), desde maio de 2014, e não apresenta casos da doença há mais de 20 anos.