Multi Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação e a docência online

30/06/2020

Por: Andrezza Tavares & Bento Silva
Foto: Antônio Izomar Rodrigues

 

Entrevista com António Izomar Rodrigues: “Multi Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação para enfrentar os tempos pandémicos                     

      Entrevista internacional concedida por Antônio Izomar Rodrigues, Pós-Doutorando em Ciências da Educação e Tecnologia Educativa pela Universidade do Minho, em Braga/Portugal, ao portal de jornalismo Potiguar Notícias. O biólogo e professor do ensino superior no Instituto Federal do Amazonas (IFAM) em Manaus, é Doutor em Ciências da Educação pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (Vila Real, Portugal) e cursa o pós-doutoramento em Ciências da Educação na Universidade do Minho, sendo pesquisador  do Centro de Investigação em Educação (CIEd/UMinho). Nesta entrevista fala do potencial das Multi Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação para enfrentar os tempos pandémicos, considerando que se faz necessária “uma formação contínua para professores, com ações que superem a lógica de treinamento, constituindo redes de comunicação, formação e aprendizagem”.

1. A partir dos estudos que tens desenvolvido, comente sobre as interfaces entre interação social, dispositivos técnicos e a educação no século XXI?

    O século XXI é marcado por uma nova relação entre os dispositivos técnicos e sociais, pela emergência do ciberespaço que estabeleceu novos espaços de troca, comunicação e sociabilidade. Hoje, em tempo de pandemia (Covid-19), vivenciamos uma história que ainda está sendo escrita e que traz novos elementos para serem pensados em relação ao ensino e a globalização.

2. Em sua avaliação, que ideias devem ocupar centralidade na formação e no trabalho de professores que no período da pandemia estão imersos em contextos de aulas online?

    Conectividade, uso social das Multi Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (MTDIC), práticas digitais realizadas por educadores e professores, diariamente, inovando nas suas práticas pedagógicas.

3. A literatura sobre comunicação por meio de dispositivos eletrônicos realça que cada vez mais “a comunicação deixa de ser apenas de um para um para se tornar de muitos para muitos”. Pode comentar esta assertiva?

    O desenvolvimento e o uso deslocado para múltiplas direções do computador e da Internet produziram, e ainda continuam a gerar, mudanças expressas na comunicação humana, a partir das quais, independentemente do tempo e do espaço, qualquer pessoa pode conectar-se com outras pessoas, independentemente do local em que viva. Nesse sentido, a comunicação deixa de ser apenas de um para um para se tornar de muitos para muitos.

4. No Brasil o uso das Multi Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (MTDIC) se faz extensivo ao campo da formação dos professores?

   No contexto brasileiro, a criação de programas é, geralmente, justificada pela demanda social advinda de tendências exigidas pelo mundo globalizado com o uso cotidiano das MTDIC. Uma das metas desses programas é promover a capacitação de professores com o objetivo de fomentar mudanças educacionais no que toca à presença das MTDIC, ou seja, trata-se de responder aos desafios da Sociedade da Informação e da globalização.

5. O que significa pensar a formação continuada de professores no contexto da internet na  perspectiva da criação de redes de comunicação?

   Neste sentido, torna-se necessária uma formação contínua para professores, com ações que superem a lógica de treinamento, constituindo redes de comunicação, formação e aprendizagem. Estas devem ultrapassar a distribuição de informações, conforme se têm caracterizado diversos projetos e programas de formação realizados ao longo dos tempos, para passar a fomentar a comunicação e a educação em rede com forte sentido colaborativo.

6. Que aspectos o pesquisador Antônio Izomar destaca como atividades importantes para a formação de professores para docência online (aula a partir de casa) através das MTDIC?

   Como atividades possíveis destaco o envolvimento com treinamento, aperfeiçoamento e capacitação dos docentes; o desenvolvimento de rotinas de teletrabalho com horário específico de trabalho (isso ajuda a ter o teletrabalhado mais organizado e produtivo); a manutenção de uma comunicação efetiva utilizando diversas tecnologias, sobretudo as móveis (smartphone e tablet); o uso de redes socais (como criar um grupo no Whatsapp ou em outra rede); a comunicação em diversos tempos (síncrono e assíncrono). Todas estas possibilidades são alternativas online aliadas da educação e da formação de professores no contexto de enfrentamento da atual situação pandémica e, também, nos tempos pós-pandémicos.

Nota: Esta entrevista publicada no Portal de Jornalismo Potiguar Notícias integra o repertório de publicações do Projeto pluri-institucional intitulado “Diálogos sobre Capital Cultural e Práxis do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) - IV EDIÇÃO”. O Projeto, vinculado à Diretoria de Extensão (DIREX) do campus IFRN Natal Central e ao Programa de Pós-Graduação Acadêmica em Educação Profissional PPGEP do IFRN, articula práxis do campo epistêmico da Educação a partir de atividades de ensino, pesquisa, extensão, inovação e internacionalização com o campo da comunicação social a partir da dinâmica de produções jornalísticas por meio de diversos canais de diálogo social como: portal de jornal eletrônico, TV web, TV aberta, rádio e redes sociais. O objetivo do referido Projeto de Extensão do IFRN é socializar ideias e práxis colaboradoras da educação de qualidade social, de desenvolvimento humano e social por meio da veiculação de notícias em dispositivos de amplo alcance e difusão de comunicação social. Para mais informações sobre o Projeto contacte a coordenadora: andrezza.tavares@ifrn.edu.br.  

 

Fonte: Antônio Izomar Rodrigues