Sobre tigres, ursos e partidas de xadrez

22/03/2019

Por: Mario Trajano
 
A prisão tardia de Michel Temer e Moreira Franco representa um triplo estratagema da milícia lava jateira, uma jogada digna dos mais audaciosos e criativos enxadristas.
 
Em primeiro lugar, tenta-se dar um gás, um pouco de oxigênio, para conferir sobrevida à moribunda operação, após o duro pronunciamento de Gilmar Mendes, a retirada da competência da Justiça Federal para o julgamento dos crimes de caixa 2, agora sob à batuta da Justiça Eleitoral, o veto do STF à espúria fundação arquitetada por Deltan Dallangnol e do retumbante fracasso das manifestações do último domingo.
 
Além disso, os encarceramentos ( merecidos, mas possivelmente ilegais) do Nosferatu e do Angorá( que vem a ser, inclusive, genro do Presidente da Câmara) representam uma retaliação da gangue de Moro e Bretas contra a quadrilha de Rodrigo Maia, um claro sinal do racha nas hostes golpistas e um aviso explícito à classe política de que a Farsa Jato continua viva, após os ataques feitos pelo “ Botafogo”, contra a famigerada turma togada, mostrando que bandidos não têm amigos, têm cúmplices, que costumam trair-se mutuamente e que no circo de horrores que virou o Brasil, não existe consenso entre os responsáveis pelo caos institucional vivenciado hoje pelo nosso país
 
Como se não bastasse, a decretação da custódia preventiva de tão nefastas figuras públicas representa também uma ardilosa forma de desviar a atenção, de desviar o foco da população no momento em que o desastre da viagem aos EUA, o enigma sobre quem foram os mandantes da morte de Marielle, o profundo envolvimento da famiglia Bolsonaro com milicianos e principalmente a reforma da previdência são temas muito mais urgentes, pautas muito mais imperiosas de serem discutidas pelo povo brasileiro.
 
Enfim, foi uma jogada de mestre. Mas na vida, na política e nas partidas de xadrez lances arriscados, momentos tudo ou nada, podem dar certo, ou não. Podem render grandes vitórias ou fragorosas derrotas aos que empreendem tais jogadas de risco.
 
A turma da capa preta pode acabar sendo bem sucedida nesses seus pérfidos intentos, mas também pode estar cavando a própria cova da operação, pois as prisões de tão infames golpistas pode acabar pavimentando o caminho da CPI da Lava Toga, o que pode acabar fazendo com que quem hoje caça amanhã venha a ser caçado( ou deveríamos dizer cassado?) .
 
Uma coisa é certa, a briga de foice está grande nas altas cúpulas de poder no Brasil, é a luta feroz entre grandes predadores, entre tigres e ursos, sendo que a única certeza é que quem sairá perdendo será a democracia e o povo brasileiro.
 
Quando o tigre e o urso se enfrentam quem acaba perdendo, de verdade, são as suas presas, os animais mais fracos na cadeia alimentar que irão fatalmente ser devorados, independentemente de quem saia vencedor, do sucesso desse ou daquele predador.
 
Quando os poderosos brigam ente si quem sempre acaba perdendo é o povo, a classe trabalhadora, os peões no grande tabuleiro de xadrez da luta política, sacrificados para saciar os interesses daqueles que ditam as regras do jogo de acordo com os seus pérfidos e egoísticos propósitos, suas vis ambições de poder e riqueza.