Conselho de Desenvolvimento Metropolitano reúne projetos prioritários da região

24/10/2015


Foto: Google Imagens
O Conselho de Desenvolvimento Metropolitano se reúne na próxima segunda-feira, 26, a partir das 9h, na Escola de Governo, com a presença confirmada do governador Robinson Faria. No segundo encontro após a reativação do fórum, os membros do Conselho vão definir projetos prioritários comuns aos 12 municípios que integram a Região Metropolitana de Natal. Após a reunião, a pauta unificada será encaminhada pelos prefeitos e também pelo governador Robinson Faria ao Ministério das Cidades.
 
O fórum também vai criar oito grupos de trabalho para aprofundar o debate sobre as demandas dos municípios. Os grupos vão discutir estatuto da metrópole; resíduos sólidos; mobilidade metropolitana; segurança pública e defesa social; saúde; educação, cultura e esportes; cidades inteligentes; e agricultura familiar. Todos os grupos terão participação de representantes do Ministério Público, OAB, órgãos federais, instituições de ensino superior, sociedade civil, além dos próprios integrantes da entidade. O Conselho de Desenvolvimento Metropolitano é presidido pelo secretário de Estado do Planejamento e das Finanças. 
 
Para o titular da Seplan, Gustavo Nogueira, o momento é de identificar os problemas comuns e pensar estratégias para saná-los. “O Conselho Metropolitano é uma ferramenta importante para a integração de políticas públicas com potencial estratégico. Nessa segunda reunião iremos reunir as prioridades comuns aos municípios e encaminhar as soluções ao Ministério das Cidades para buscar os recursos necessários”, afirmou.  
 
Conselho
 
O Conselho de Desenvolvimento Metropolitano é composto pelas seguintes autoridades: Governador do Estado, Secretário de Estado do Planejamento e das Finanças, 12 prefeitos, 1 representante da Assembleia Legislativa e 1 representante do Parlamento Comum (Câmaras de Vereadores dos municípios envolvidos). O fórum tem por finalidade levantar as demandas da região Metropolitana de Natal, planejar soluções e atuar de modo que sejam oferecidos serviços públicos de qualidade para melhorar a vida da população da região, estimada em 1,5 milhão de pessoas.
 

Fonte: ASSECOM - RN