Sérgio Freire: "Queremos interagir com a comundiade e focar no social"

17/08/2014


A Ordem dos Advogados do Brasil, secção RN, tem muitos projetos para 2014. É sobre isto que falou o presidente da entidade em entrevista ao jornalista José Pinto Junior.

O que será feito no local onde funciona atualmente a OAB/RN?
Nossa pretensão é fazer uma espécie de museu da OAB, não apenas para contar a história, mas para promover ações sociais. Também pretendemos deixar instalado no local o setor de assistência judiciária, que atende anualmente 5 mil pessoas. Hoje não temos um conforto para esse atendimento, para os que prestam serviço, nem para os que são assistidos. Queremos estruturar melhor o local e prestar um serviço mais amplo com acompanhamento social e psicológico.

E onde funcionará a escola da Ordem?
Nossa futura sede comportará toda a estrutura da OAB, com excessão da assistência aos necessitados, que permanecerá no local atual, que é de fácil acesso a quem necessita. No centro da cidade, é um local bem central e de fácil localização.


Dos três 3 candidatos à presidência do Brasil, Dilma Roussef, Aécio Neves e Eduardo Campos, nenhum se coloca de forma mais efetiva em relação à essa questão da segurança púbica, e o sistema carcerário. Os líderes políticos potiguares também não fazem uma militância mais incisiva ao enfrentamento da situação do sistema. Na visão da OAB, seria necessário que os representantes da política republicana brasileira tivessem uma posição mais clara a respeito dessa questão?
Acho que o Brasil passa por um momento muito estático. A gente sente que há uma maquiagem no ar, de números, de economia e tudo mais. No entanto, há dois setores que precisam de um debate nacional: a saúde a e a segurança. Então eu não posso enxergar um candidato à presidência, sem ele debater, se preocupar e demonstrar a intensão de uma solução no que tange a segurança nacional.

Costuma-se dizer que o Parlamento é a caixa de ressonância, da sociedade, e reflete diretamente no Poder Executivo, pois fazem a legislação e fiscalizam o Executivo. A OAB tem a intensão de envolver os parlamentares nessas ações?
A intensão da OAB é envolver toda a sociedade, tanto que nessas visitas que vamos fazer a todos os presídios do RN, estamos chamando o Conselho de Psicologia, o de Assistência Social e o de Medicina, a fim de que em conjunto, tenhamos uma fotografia real do situação carcerária no RN. Esse debate é amplo, e não pode ficar restrito aos policiais, à OAB ou alguns parlamentares. No RN, não está diferente dos demais estados, a criminalidade vem crescendo, a impunidade aumentando, e isso é o resultado da falta de estrutura da polícia, que não dispõe de estrutura que ajude a apurar os crimes. Não há condições para os policiais realizarem inquéritos e concluírem para que a Justiça possa vir a aplicar penas e a sociedade tenha o sentimento de que quem pratica o errado é punido.


Além da construção da sede, e da Casa do Advogado, o que mais será executado pela OAB/RN em 2014?
Queremos equipar todas as salas, e continuar os investimentos no Processo Eletrônico, inclusive no interior do Estado. Vamos instalar uma subseção em Goianinha e em Macau, e pretendemos realizar a Conferência Estadual. Neste ano, queremos nos aproximar das faculdades e universidades para trazer os estudantes para conhecerem a OAB além do exame. Teremos muito trabalho, mas certamente estamos com mais disposição e alegria do que no início do ano passado.


 

Fonte: Redação Potiguar Notícias