Eliade Pimentel

03/01/2022
 
 
Como se formam os casais
 
Acho interessante imaginar a história dos casais. Como se conheceram, onde se viram pela primeira vez, em que momento rolou o clique do cupido e, principalmente, como “acertam” que devem ficar juntos para sempre. O que nem sempre ocorre, mas, a intenção é essa na maioria dos casos. Acho muito curioso porque as pessoas que formam um casal geralmente são bem diferentes entre si. Vejo isso sempre. 
 
Mulheres muito vaidosas com uns sujeitos simples até demais. Pessoas tímidas, com outras extremamente caladas. Homens fanfarrões, mulheres que nem tomam um gole de álcool. Muitas delas religiosas até demais. A diversidade é grande e entre casais homoafetivos também é dessa maneira. Meu observatório são mesas de bar, praias, shoppings e eventos em geral. Não é raro ver gente nova, porém, com anos de relacionamento. 
 
Puxa vida. Acho muito maduro isso. Viver anos com a mesma pessoa. Por isso eu admiro tanto os casais e fico sempre a me perguntar. Como se formam os casais. Passei a perguntar para algumas amigas onde havia conhecido o mancebo. O príncipe consorte. E uma delas me surpreende com a resposta: no facebook. Outra, num grupo de watsapp. Ué, como assim. A pessoa saiu da conversa em público, passou um lero no privado e créu. Imaginando eu a cena. 
 
Creio que minha imaginação seja muito fértil mesmo. Porém minha curiosidade é para entender mais o mérito do que propriamente o jeito em si que os casais se conheceram. Refiro-me à longevidade das relações. Apesar de estarmos vivendo tempos líquidos, não é raro nos depararmos com casamentos ou namoros duradouros. Não estou pensando e nem pensarei nos trancos e barrancos. Pois, apesar de haver muito disse me disse nessa jornada, os senões e porquês não têm impedido os casais de viverem por anos e anos juntos. 
 
E os policiais? Já reparou que a maioria dos e das profissionais da segurança casam novinhos (e novinhas)? Fico brincando que devem se conhecer na calçada da academia com seu futuro grande amor. Ou talvez sejam namorados de adolescência buscando se organizar mutuamente através da segurança de um emprego estável. 
E nas praias? Acho um luxo os moços segurando a sacola de praia de sua companheira. Fico rindo comigo mesma. Muitos deles seguram como um troféu diante dos demais mortais que não se depararam ainda com seu amor sólido na vida. Somente o sentimento que escorre pelas mãos. 
 
Talvez, continuo a pensar, o que faz com que muitos casais passem anos juntos seja a confiança. Você depositar confiança em outra pessoa é uma riqueza. Talvez seja aí, no coração e na mente, o “local” onde se formam os casais. A confiança: acredito que seja a vontade de ver e de contar com a outra pessoa e a certeza de que você terá esse momento. É só dar tempo ao tempo. E confiar.