Renisse Ordine

14/10/2021
Quem curte um dramalhão mexicano?
 
 
Vou começar me declarando como uma fã de novela mexicana, ainda mais em tempos de quarentena, eu costumo trabalhar sintonizada nesses dramalhões, que me dispersam da realidade.  
 
Como sabemos, antes só podíamos assisti-las pelo canal aberto (SBT), agora, elas estão dominando os streamings, nosso novo meio de consumir conteúdos. Desde os clássicos até as novas produções da Televisa, como também em documentários que trazem os ícones latinos. 
 
A cultura latina está a todo vapor! 
 
E de onde vem todo esse sucesso? Você pode até não acreditar, mas isso é questão cultural relacionada à literatura. 
 
As novelas sejam elas, brasileiras ou mexicanas, como também as séries, devem a sua origem aos antigos folhetins, muito comum na Europa e, principalmente no Brasil, no século XIX.  
 
Neste período, os folhetins ou periódicos, tornaram-se os meios mais populares de comunicação, e especificamente o romance-folhetim, os quais, as mulheres eram as principais leitoras. Tornando-se uma via de disseminação de cultura, um fervor na França, que se espalhou por outros países da Europa, chegando até ao Brasil.
 
No Brasil, não existia um consumo de livros, pois os livros de autores brasileiros eram lançados em editoras da Europa, e vinham direto para as mãos da elite. E nem todos conseguiam publicar. Para aos leitores de classes inferiores, o que restava eram os romances de folhetins, lançados semanalmente. Machado de Assis foi um dos escritores brasileiros que fez sua fama por esse meio. 
 
Com isso, vemos que a literatura é a grande precursora dessas histórias dividas em partes, que gera no leitor/espectador, uma ansiedade e conversas no dia seguinte sobre o desenrolar do enredo, é isso é parte do sucesso popular das novelas e séries. 
 
Mas, segundo pesquisadores, outro fator que garante o sucesso das novelas mexicanas, além da dramaticidade, são as questões do conservadorismo, religião e família presentes. Bem no nosso estilo latino-americano de ser, onde estes três fatores são relevantes. O que as contrapõem com os temas das novelas brasileiras, que atualmente focam na violência, ou seja, elas são bem mais realista o que não alivia o stress do cotidiano. 
 
Com o seu imenso catálogo, as novelas mexicanas misturam tudo o que nós latinos somos: histórias recheadas de romances exagerados, fantasia, sofrimento e ansiedade.  Bem, ao estilo Júlia e Sabrina, os antigos livros de mulherzinha vendidos nas bancas. Enfim, a popularidade delas é bem alta e difícil é perderem esse status. 
 
E por falar em dramaticidade, nesse quesito eles são perfeitos: choros, sofrimentos à flor da pele, amores que não cabem no peito. Assim elas são e eu fico com a cabeça bem relaxada para poder escrever e trabalhar.