Renisse Ordine

29/10/2020
 
 
São Luís do Paraitinga: A celebração do aniversário do Saci
 
 
No dia 31 de outubro, o povo brasileiro tem o costume de comemorar o Halloween e se esquece de que neste mesmo dia é o aniversário de uma das figuras mais ilustres do nosso folclore: o Saci-pererê. Conheça a festa do verdadeiro “raloim” do Brasil. 
 
Certa vez, eu fiquei sabendo através das redes sociais que em 31 de outubro era também comemorado o aniversário do Saci. Fiquei surpresa ao me deparar com tal informação, pois até então eu só sabia que esta data era a do Halloween. Assim como grande parte da população brasileira.
 
Para complementar esta informação, descobri que também havia uma festa e local para celebrar este dia. Como dizem por aqui, “não pensei duas vezes”, e marquei estadia para “festar” com o Saci, na cidade histórica de São Luís do Paraitinga, o local da festa. 
 
Chegando lá, deparei-me com uma cidade fascinante pela sua simplicidade e pelo cuidado primoroso com a arquitetura local, na qual estão os casarões dos Barões do período cafeeiro no Vale do Paraíba, século XIX. 
 
Quanto à decoração, ela estava igualmente incrível, com sacis para tudo quanto é lado, desde as bandeirinhas penduradas pela região central até na atenção para o acessório essencial que os convidados deveriam usar: o gorro vermelho do Saci, que foi distribuído gratuitamente a quem ia chegando. . 
 
Cheguei sábado pela manhã, já com a festa em andamento. Pois, no dia anterior, tinha sido a abertura da festa, que é o desfile do bloco do Saci (a Saciata – passeata com gorrinhos vermelhos). Pelo que pude acompanhar por vídeos e fotos, é bem semelhante a um bloco de carnaval, dada pela energia e animação dos participantes, mas com um tema central. Uma pena que neste dia não pude estar presente! 
 
Mas o sábado foi o dia de me sentir sendo parte de uma cultura que é pouco explorada, e uma grandiosidade de riqueza, bem diante de meus olhos.  Foi uma tarde para guardar por toda a minha vida: os “sacizinhos” (criançada) correndo livre pela praça e os adultos que iam se ajeitando pelos bancos e pelo gramado, enquanto eram realizadas várias apresentações culturais como o teatro de fantoche, peças teatrais, contação de história, lançamento de livros e muita música regional brasileira. 
 
Era tanta a beleza que eu tinha em volta, que eu me perdia em pensamentos entre o cenário e as apresentações, e não foram poucas às vezes em que os meus olhos revelavam a emoção que estava sentindo. E, lógico, que comprei um Saci, para me fazer companhia. 
 
No outro dia, o roteiro era para nos tirar cedo da cama. A manhã já começava bem animada com o “Saciclista”, um passeio ciclístico com gorrinhos. Toda a “sacizada” reunida e com suas bikes, pegaram estrada para um passeio pela estrada rural, com direito a travessia pelo rio, em uma pequena balsa até a uma pousada, onde estava sendo oferecida água e frutas aos participantes.
 
E como toda a festa, claro, que, não poderia faltar o canto tradicional de parabéns ao aniversariante, e um bolo gigantesco para soprar as velinhas, preparado pelas mulheres da cidade. E ninguém ficou sem um pedaço daquele maravilhoso bolo de aniversário caseiro. Bolo e guaraná, e as festividades correndo solto pela praça, naquele dia ensolarado. 
 Assim, a festa chegou ao fim! Retornei para minha casa, com vários mimos da festa, e uma sensação de ter vivido algo que parece tão rotineiro, mas não é. Parecia que eu estava em outro universo.
 
Muito se fala sobre valorização da cultura deste país, e pouco se faz para que ela realmente ocorra. Olha que a tentativa de nos enfiar goela abaixo qualquer cultura norte- americana, não é brincadeira. Antes mesmo de chegar o mês de outubro, as lojas, escolas e propagandas já estão todas voltadas para a comemoração do dia das bruxas.
 
Realmente, fiquei muito feliz pela oportunidade de conhecer uma festa como esta e, por saber que há pessoas como os saciólogos da Sociedade Observadores do Saci (SOSACI), trabalham muito pela preservação da cultura e do folclore nacional. Dando, assim, forma ao nosso real “raloim”, como é chamado pela população de São Luís. 
Ah, está faltando a abóbora, né? Na festa do Saci, nada de tê-la como enfeite de mesa e iluminada, ao contrário, ela é o prato principal e com muita carne seca. Bom demais!
Como dado importante, a cidade de São Luís do Paraitinga é um município do estado de São Paulo. Uma cidade marcada pela forte preservação da cultura caipira em festas como a Folia do Divino e o Carnaval de Marchinhas e desde 2003, pela Festa do Saci, após essa comemoração ter se tornado uma lei estadual