Wellington Duarte

28/04/2020
 
COVID-19 : O BRASIL PERDEU O COMBATE PELA VIDA E O ISOLAMENTO SOCIAL DEFINHA
 
 
Em média metade dos brasileiros NÃO ABSORVEU a ideia de ISOLAMENTO SOCIAL. As campanhas feitas por ALGUNS governos estaduais e uma parte da mídia não tinha como ser vitoriosa. Alguns elementos podem explicar esse fracasso:
 
1 – O campanha feita pelo presidente da república, desde o início da pandemia, CONTRA o isolamento, inclusive demitindo o ministro da Saúde, único caso no mundo;
 
2 - A sabotagem descarada da equipe econômica quanto à ajuda social, empurrando os mais pobres para a rua, em busca de sobrevivência. E isso ficou claro na inação do governo, na proposta absurda dos R$ 200 e numa completa ausência de vontade de construir as condições técnicas para agilizar a distribuição desses recursos;
 
3 – Uma postura irresponsável de alguns governadores, alinhados ao presidente, sendo o caso mais explícito o de Minas Gerais, que na dubiedade da adesão ao isolamento social acabou por confundir a população;
 
4 – O silêncio das grandes entidades empresariais e comerciais, boa parte delas mirando exclusivamente sua sobrevivência corporativa, pressionando os governos locais e nacional, para afrouxar as regras sanitárias ou até mesmo, como vários grandes empresários, aderir ao discurso negacionista do presidente da república;
 
4 – O desespero dos micros, pequenos e médios empresários, abandonados à própria sorte pelo governo que foi leniente com os bancos, dando-lhes garantias para sua sobrevivência, mas não pressionando o mercado financeiro a dar condições especiais de créditos a esse setor;
 
5 – O comportamento homicida de muitos pastores e padres, que convergiram para o negacionismo do presidente da república.
Esses são apenas cinco dos muitos fatores e não adiantou buscar informar a população do caráter periculoso da pandemia, até porque um pequeno segmento, a chusma bolsonarista, incita o negacionismo e passa a mensagem, equivocada, de que “tem que ir trabalhar”.
 
Para a OMS o percentual ideal para o ISOLAMENTO SOCIAL seria de 70%, algo que parece ser impossível de ser alcançado num país devastado por um vírus chamado “ignorantia”, que sempre esteve dentro de nós, mas que a emergência das hostes reacionárias, em 2013, aos poucos fez aparecer alguns sintomas e o mais grave dele, o “bolsonarus infectantis” contaminou parte da população, que agora oscila entre o ódio absoluto e a ignorância absoluta, que convergiu com a COVID-19.
 
O BraZil perdeu a guerra para a MORTE. Teremos que lutar para salvar do “bolsonarus infectantis” os que ainda vivem e combater a ignorância absoluta, além de enfrentar as consequências econômicas de uma pandemia mundial.
 
Não será fácil.