“Bolsonaro coloca em dúvida o sistema eleitoral, porque tem medo de ser preso”, afirma Lula

10/05/2022


Foto: Reprodução

 

Durante uma viagem a Belo Horizonte para cumprimento de agenda de campanha, nesta segunda (9), o ex-presidente Lula (PT) falou sobre a eleição de outubro e aproveitou a oportunidade para reiterar suas críticas em relação ao seu maior rival na disputa ao Palácio do Planalto: Jair Bolsonaro (PL). De acordo com o petista, o atual chefe do executivo federal coloca em dúvida o sistema eleitoral por medo de ser preso.

 

“A gente tem que olhar e falar: Bolsonaro, os seus dias estão contados. Não adianta desconfiar de urna”, declarou. “O que você tem, na verdade, é medo de perder as eleições e ser preso depois que você terminar as eleições”, disparou o ex-mandatário. 

 

Como justificativa à sua opinião, Lula voltou a classificar Bolsonaro como fascista, além de representar um perigo às instituições republicanas. "Ele é um fascista e é preciso devolver o fascismo para o esgoto da história. O Bolsonaro representa a antidemocracia, o antiamor, a antipaz, a antieducação e o antidesenvolvimento”, declarou. 

 

Em sua explanação, o ex-presidente também falou sobre o momento econômico no país, enaltecendo o seu governo e a ascensão social das camadas mais vulneráveis. “Que alegria eu sentia quando o rico falava: ‘Ai, esse Lula é uma desgraça, porque o aeroporto virou uma rodoviária, tem muito pobre no aeroporto. Não é possível as pessoas continuarem imaginando que o pobre só gosta de coisa boa. A gente não gosta de carne de segunda, a gente gosta de carne de primeira”, enfatizou Lula de forma irônica.

 

Por fim, Lula atacou a atual diplomacia brasileira, salientando que o Brasil já não é mais respeitado pela comunidade internacional. “Este País era respeitado pelo Chile, pela Argentina, pelos Estados Unidos, pela China, pela Alemanha, pela França, pelo mundo inteiro, e hoje virou pária, porque ninguém quer ter contato com esse presidente, porque ele não representa o povo brasileiro”, concluiu.