“A guerra era inevitável”, afirma Putin

12/04/2022


Foto: agenciabrasil.ebc.com.br

 

Em pronunciamento oficial, nesta terça-feira, Vladimir Putin, presidente da Rússia, fez uma análise sobre os últimos acontecimentos sobre a guerra contra a Ucrânia, que já se estende por 48 dias. Reiterando seu posicionamento desde a invasão ao território da nação vizinha, o mandatário russo afirma que o confronto bélico era inevitável e uma mera questão de tempo. 

 

De acordo com Putin, a “operação especial”, como ele define a guerra, tem o objetivo de auxiliar as pessoas da áreas separatistas da Ucrânia. Nesse sentido, o mandatário declarou que o governo de Volodymir Zelensky não cumpriu o acordo de Minsk, o qual preconizava soluções pacíficas para o impasse. 

 

Ainda em relação às motivações do Kremlin no que concerne a manutenção do conflito, Putin enfatiza que a causa pela qual o exército de seu país luta é nobre, na medida em que apenas intenciona ajudar as regiões separatistas. Ademais, no que tange às sanções internacionais à Rússia, o presidente, em tom sóbrio, salienta que seria “impossível isolar uma nação tão grande”. 

 

Conforme registrado pelo Ministério de Relações Exteriores da Rússia, um grupo de 100 militares ucranianos, que estavam em veículos blindados, tentou deixar a cidade de Mariupol em direção ao norte, mas foram destruídos. Hoje, o órgão também divulgou que outros 42 militares ucranianos entregaram voluntariamente as armas e se renderam. Sobre as possíveis mortes, o Ministério da Defesa da Ucrânia, no seu relatório diário, não confirmou a informação.