“Tática de expulsar estudantes da universidade", diz Letícia Corrêa sobre tarifa do Circular da UFRN

03/12/2021

Por: Jessyanne Bezerra
Foto: Reprodução/Redes Sociais/DCE UFRN

 

Após decisão da Secretaria de Mobilidade Urbana de Natal (STTU) do retorno da linha de ônibus que opera no campus da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), conhecido como “Circular”, que a partir de agora terá tarifa fixa de R$ 3,20, estudantes da universidade se mobilizaram em frente ao prédio da pasta. 
 
Devido a isso, os estudantes se mobilizaram em frente ao prédio da STTU para reverter a situação, na manhã de quinta-feira (2). Na tentativa de "dispersão" do ato, guardas municipais utilizaram spray de pimenta e violência física contra os estudantes, que reivindicavam o direito de gratuidade no sistema de transporte.
 
De acordo com a coordenadora geral do Diretório Central dos Estudantes da UFRN (DCE), Letícia Corrêa, os estudantes nunca participaram dos diálogos e que não foram avisados sobre o retorno. Reeleita para o segundo mandato na representação dos estudantes, Letícia deixou claro que: “Isso é uma tática de expulsar os estudantes da universidade, enquanto enche o bolso dos grandes empresários”.
 
A mudança foi anunciada nesta quarta-feira (1º), e surpreendeu estudantes da universidade, porque até então o serviço era gratuito, direito adquirido pela luta do Movimento Estudantil. De acordo com a STTU diz que medida foi necessária para “equilíbrio” do sistema. “O Circular funcionava de maneira gratuita há mais de 20 anos. Isso é uma conquista dos estudantes”, declarou a coordenadora geral do DCE. 
 
Sem se comunicar com os alunos, verdadeiros prejudicados com essa medida, a atual cobrança da tarifa dos passageiros irá afetar em até 20% nos gastos de estudantes e servidores que não sejam de Natal, de acordo com o levantamento feito pelo Tribuna. “Nunca teve o que negociar, eles sempre deixaram claro que não haveria retorno do Circular pois não havia lucro para eles”, salienta Corrêa.
 
O valor integral da passagem é de R$ 3,20, e para quem tem o benefício da meia-entrada, é de R$ 1,60. O ônibus passa no período de uma em uma hora. “Uma rota de cinco minutos por esse valor, agora imagina como esse preço vai afetar o bolso dos estudantes?”, questionou Letícia Corrêa.
 
Segundo a Secretaria de Mobilidade Urbana de Natal (STTU), os passageiros que vierem de outras localidades pelo transporte público poderão fazer integração no Alimentador UFRN, nome que foi dado à linha de ônibus. A retomada da rota foi decidida em reunião nessa terça-feira (30), que contou com Daliana Bandeira. 
 
De acordo com a titular da STTU, ocorreram diálogos com a administração da UFRN para saber como seria esse retorno do Circular. “A reposta da universidade sempre foi de que não tinha como custear o transporte”, afirmou Bandeira.
 
Com o fim da gratuidade do Circular, a medida deve afetar cerca de 14,5 mil alunos, segundo dados expostos pelo Tribuna do Norte. A Reitoria da UFRN informou por meio de nota que a linha circular faz parte do sistema de transporte público e que a universidade não tem competência legal para operar no serviço ou definir o modelo de operação.
 
Até o momento, a STTU não tentou conversar com os estudantes e se recusou a recebe-los.