Do Egito, Salim Abdelkawy reflete sobre a educação online em tempo de Pandemia

03/07/2020

Por: Andrezza Tavares (IFRN) e Bento Silva (Universidade do Minho)
Foto: Salim Abdelkawy

 

Do Egito, Salim Abdelkawy reflete sobre a educação online em tempo de Pandemia

     Entrevista com Salim Abdelkawy, diretamente do Egito, no continente Africano, sobre o enfrentamento da pandemia do Covid-19. O entrevistado é bacharel, especialista, mestre e pesquisador sobre a atividade turística no país. Na entrevista ao jornal Potiguar Notícias fala sobre aspectos adotados pela dinâmica do ensino superior no Egito, sobre a preocupação nacional com as avaliações dos estudantes e sobre aspectos sócio-econômicos do contexto pós isolamento social. A entrevista de Salim Abdelkawyno foi desenvolvida por meio de relatório de perguntas abertas no idioma inglês. Ao final da exibição das ideias do entrevistado no idioma português,  traduzida por Andrezza Tavares, também será disponibilizado o texto no idioma inglês conforme encaminhado pelo entrevistado.  

1. Qual o formato de educação adotado no ensino superior no Egito após a pandemia de 19-Covid?

      O Egito iniciou, desde os primeiros casos, os procedimentos de precaução e prevenção para impedir a disseminação do coronavírus. No caso particular do ensino superior, o sistema de estudo foi alterado de frequência presencial para aulas online e também foram realizados exames finais online.

 2. Considerando os aspectos sociais, econômicos e ambientais do Egito, especialmente no contexto da pandemia, qual é a expectativa sobre o futuro do país?

     Se fizermos uma comparação entre o Egito e muitos países do mundo, poderemos descobrir que o Egito está em uma posição segura e forte para controlar a situação. O Ministério da Saúde está se esforçando para encontrar um tratamento egípcio eficaz para a coronavírus.  Além disso, o Egito deu sinal verde para o retorno de todas as atividades econômicas e ambientais, desde que sejam respeitados os métodos de precaução e prevenção.  Também é esperado que a Companhia Nacional de Aviação do Egito retome o seu trabalho no início de julho. Isso levará ao retorno da principal atividade econômica nacional que é o turismo.

 3. Que providências educacionais as instituições de ensino seguiram diante das contingências causadas pela pandemia no Egito?

      As instituições educacionais forneceram todos os métodos de precaução e prevenção, como: converter a educação presencial em online, desinfetar escolas e universidades, assim como transferir exames em texto (pdf) para um sítio científico, na internet, em que cada aluno, estando online, realizasse o upload de sua atividade, com as devidas instruções, e obtivesse todas as informações necessárias.

4. No Egito as dificuldades econômicas e sociais também afetaram os alunos em 2020?

   Em relação às dificuldades econômicas dos estudantes do ensino superior, a pandemia coronavírus foi uma arma de dois gumes. Por um lado, foi necessário economizar o seu financiamento, diminuindo os gastos com o ensino superior, pois foi necessário utilizar tais recursos no tratamento de pacientes. Outro fator de impacto foi a dificuldade relacionada aos casos de morte na vida das pessoas.

5. Uma mensagem de desfecho para esta entrevista que será compartilhada com a sociedade brasileira?

    A situação de saúde no Egito está melhorando. O Egito é um destino histórico e turístico único. Convidamos os brasileiros para visitar o Egito. De acordo com o site observador.pt, o Egito hoje possui cerca de 100 milhões de habitantes. No Egito foram testados 72.711 casos positivos para o Coronavírus com 3.201 mortes.

 

Nota: Esta entrevista publicada no Portal de Jornalismo Potiguar Notícias integra o repertório de publicações do Projeto pluri-institucional intitulado “Diálogos sobre Capital Cultural e Práxis do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) - IV EDIÇÃO”. O Projeto, vinculado à Diretoria de Extensão (DIREX) do campus IFRN Natal Central e ao Programa de Pós-Graduação Acadêmica em Educação Profissional PPGEP do IFRN, articula práxis do campo epistêmico da Educação a partir de atividades de ensino, pesquisa, extensão, inovação e internacionalização com o campo da comunicação social a partir da dinâmica de produções jornalísticas por meio de diversos canais de diálogo social como: portal de jornal eletrônico, TV web, TV aberta, rádio e redes sociais. O objetivo do referido Projeto de Extensão do IFRN é socializar ideias e práxis colaboradoras da educação de qualidade social, de desenvolvimento humano e social por meio da veiculação de notícias em dispositivos de amplo alcance e difusão de comunicação social. Para mais informações sobre o Projeto contacte a coordenadora: andrezza.tavares@ifrn.edu.br.  

 

---

Apresentação da entrevista no idioma inglês conforme encaminhada pelo entrevistado 

 

From Egypt, Salim Abdelkawy reflects about online education in time of Pandemic

Salim Abdelkawy is tourism expert, has long experience in tourism for more than 20 years, he had master's degree in tourism, he had published 3 scientific tourist researches all of them are about the way to face tourism crises.

1. What is the format of virtual education adopted in higher education in Egypt after the covid-19 Pandemic?

 Egypt had started all precautionary and preventive procedures to prevent the spread of Corona viruse, especially in the stages of higher education where the study system has been changed from university attendance to online lectures, and final exams were also held online as well.

 2. Considering the social, economic and environmental aspects of Egypt, especially in the context of the pandemic, what is the expectation about the country's future?

If we make a comparison between Egypt and many countries in the world, we could find find that Egypt is in a safe and strong position to control the situation, and the Ministry of Health is striving to find an effective Egyptian treatment for Corona viruse. Also, Egypt had given the green light for the return of all economic and environmental activities, provided that it takes into account precautionary and preventive methods. Also it's expected that the National Aviation Company in Egypt (Egypt air) will resume its work by the beginning of July, which would lead to a return to normalcy.

3. What educational policies have educational institutions received in the face of the contingencies caused by the pandemic in Egypt?

Educational institutions have provided all precautionary and preventive methods such as: converting education to be online, sterilizing schools and universities, and transferring transfer exams from tests to paper researchers by providing a scientific account for each student online to upload his research and follow up the instructions and get all the needful information.

4. Did Egypt's economic and social difficulties also affect higher education students in 2020?

Regarding the economic difficulties for students of higher education, the Corona pandemic was a double-edged weapon, which save the highest expenses that were spent on higher education to be used in the treatment of Corona patients. As for the social difficulty it had represented in death cases and their impact on people's lives.

 5. An outcome message for this interview to be shared with Brazilian society?

The health situation in Egypt is good and evident, and Egypt, as a unique and safe history and tourist destination, welcomes all Brazilian tourists and invites all of them to visit Egypt. Second, the site observador.pt Egypt today has around 100 million inhabitants. In Egypt we have 72,711 cases Coronavírus with 3,201 deaths.

 

Fonte: Salim Abdelkawy