Entrevista com a bióloga Judivanda Cunha sobre “os vírus: inimigos invisíveis”

15/06/2020

Por: Andrezza Tavares
Foto: Maria Judivanda da Cunha

 

 

    Entrevista concedida por Maria Judivanda da Cunha, Mestre em Educação Profissional, pesquisadora egressa do PPGEP/IFRN, ao portal de jornalismo Potiguar Notícias. A bióloga e professora fala sobre a definição e as características dos vírus, bem como, sobre os seus impactos na vida social.    

1. Professora, o que são os vírus?

    Os vírus são organismos que apresentam diâmetro entre 15 e 300 nm (nanómetro) e são denominados de parasitas intracelulares obrigatórios pois apenas se reproduzem no interior de células. Diferentemente de todos os seres vivos, eles não possuem célula e nem metabolismo próprio, possuem a capacidade de se autoduplicar e variabilidade de ácidos nucleicos.

2. A história da ciência biológica revela que os vírus foram descobertos em que período?

    Os vírus foram descobertos a partir dos estudos independentes realizados por Dmitri Iwanowski e Martinus Beijerinck em 1892 e 1898. Estes pesquisadores estudaram o agente causador da doença denominada de mosaico do tabaco, que deixava as folhas de tabaco manchadas entre a coloração verde-escura e clara. Apesar da descoberta, os vírus foram visualizados apenas na década de 1940, após a invenção do microscópio eletrônico.

3.  Mencione exemplos de doenças causadas por vírus com rebatimentos nos seres humanos.

     Posso mencionar uma ampla lista deles:

  • AIDS – Agente etiológico: HIV (Vírus da Imunodeficiência humana)
  • Catapora – Agente etiológico: Varicela-zóster
  • Condiloma acuminado – Agente etiológico: HPV (Papiloma Vírus Humano)
  • Gripe – Agente etiológico: Influenza
  • Herpes bucal – Agente etiológico: HSV-1 (Vírus Herpes Simples tipo 1)
  • Herpes genital – Agente etiológico: HSV-2 (Vírus Herpes Simples tipo 2)
  • Poliomielite – Agente etiológico: Poliovírus
  • Raiva – Agente etiológico: Vírus da raiva
  • Resfriado – Agente etiológico: Rinovírus e outros tipos
  • Rubéola – Agente etiológico: Vírus da Rubéola,
  • Sarampo – Agente etiológico: Measles morbillivirus,
  • Novo coronavírus - Agente etiológico: MERS SARS COV-2, classificado como, COVID-19.

4. O que devemos saber sobre o Coronavírus?

    São vírus que podem afetar a saúde humana, principalmente a partir da infecção do sistema respiratório. Atualmente são conhecidos 7 tipos de coronavírus que atingem humanos.

5. Quais as principais medidas de controle e redução para o novo Coronavírus?

    Diante do alarmante número de casos confirmados e do aumento de óbitos no Brasil pela COVID-19, medidas preventivas mais rigorosas devem ser tomadas para conter a propagação do vírus, como por exemplo: o Isolamento social, a quarentena, e até mesmo o Lockdown. “Expressão em inglês que significa “confinamento total” ou “fechamento total”. O “lockdown” foi adotado em vários países durante a pandemia de Covid-19.

6. Como se dá a transmissão da COVID-19?

   A equipe de pesquisa do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas dos EUA adverte que o novo coronavírus permanece três horas suspenso no ar, quatro horas no cobre, um dia inteiro no plástico ou no aço inoxidável. O trabalho, cujos resultados preliminares foram divulgados há alguns dias, acaba de ser publicado na revista The New England Journal of Medicine.

   Nas pessoas, os vírus ficam alojados no sistema respiratório (boca, nariz, garganta, traqueia, pulmões). Quando a pessoa fala, espirra ou tosse, o vírus é expelido para o ambiente externo ao corpo humano, por meio de gotículas muito pequenas de secreção. Assim, pode ficar no ar por cerca de meia hora e pode ainda se alojar em superfícies, em mesas, objetos, computadores, teclados, entre outros.

7.Qual o centro de investigação científica está na vanguarda para a elaboração da vacina contra a COVID-19?

   O Ministério da Saúde está apostando em uma pesquisa da Universidade de Oxford, na Inglaterra, para conseguir a vacina contra a covid-19. É esperado que isso aconteça ainda no segundo semestre deste ano, segundo o ministro interino, Eduardo Pazuello. “São 16 as mais promissoras possibilidades. Dentre as 16, elencamos três. A melhor de todas, que estamos apostando as fichas, é na de Oxford”, disse. (CORREIO BRAZILIENSE,2020).

   O Brasil deve iniciar testes com a vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford ainda neste mês. O país será o primeiro país, após a Inglaterra, a testar a vacina. A autorização foi publicada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), no último dia 2 de maio.

8. Em tempos de incertezas, é possível ter esperança por dias melhores?

   Devemos manter a esperança e crer que a pandemia passará. Para tanto, devemos fazer a nossa parte como cidadão coerente. Devemos seguir à risca as medidas de controle e redução para o novo Coronavírus, quem puder fique em casa. É importante lembrar que a humanidade venceu outras guerras travadas contra os vírus, inimigos invisíveis, podemos citar a guerra contra o Sarampo, por exemplo.

 

Nota: Esta entrevista publicada no Portal de Jornalismo Potiguar Notícias integra o repertório de publicações do Projeto pluri-institucional intitulado “Diálogos sobre Capital Cultural e Práxis do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) - IV EDIÇÃO”. O Projeto, vinculado à Diretoria de Extensão (DIREX) do campus IFRN Natal Central e ao Programa de Pós-Graduação Acadêmica em Educação Profissional PPGEP do IFRN, articula práxis do campo epistêmico da Educação a partir de atividades de ensino, pesquisa, extensão, inovação e internacionalização com o campo da comunicação social a partir da dinâmica de produções jornalísticas por meio de diversos canais de diálogo social como: portal de jornal eletrônico, TV web, TV aberta, rádio e redes sociais. O objetivo do referido Projeto de Extensão do IFRN é socializar ideias e práxis colaboradoras da educação de qualidade social, de desenvolvimento humano e social por meio da veiculação de notícias em dispositivos de amplo alcance e difusão de comunicação social. Para mais informações sobre o Projeto contacte a coordenadora: andrezza.tavares@ifrn.edu.br.  

 

Fonte: Maria Judivanda da Cunha