Potiguar já pode fazer uso de técnica revolucionária na ortodontia

16/10/2013

Por: Diogo Damasio

Natal já conta com o mais moderno meio de diagnóstico em imagem para a ortodontia. Método não invasivo, de altíssima precisão diagnóstica e rápido resultado, a tomografia computadorizada voltada exclusivamente para a ortodontia, alinhada com o Protocolo SEG (sistema de análise e diagnóstico de alta precisão), é novidade de ponta no tratamento ortodôntico no país. 

“O grande diferencial dessa nova técnica está exatamente na análise do exame através do Protocolo SEG. O paciente tem o resultado de sua tomografia - mais de 600 imagens, na média - enviado para um centro de clínico de análise em Brasília, onde é feito um exaustivo estudo dos arquivos, chegando a uma série de resultados de extrema acurácia técnica. Com essa análise em mãos, o cirurgião dentista terá um relatório preciso de toda a face do paciente com suas imperfeições minuciosamente detectadas e medidas, permitindo então a escolha do tratamento mais adequado para o seu caso e, consequentemente, uma maior facilidade e agilidade na busca pela perfeição no resultado do tratamento”, afirma Raniere Sousa, especialista em ortodontia da Clínica Vicente de Paula. 

A nova técnica de análise da imagem permite um exame tridimensional de todo o crânio do paciente, dando condição ao profissional de analisar não apenas os maxilares e a mandíbula, mas toda a estrutura facial do paciente, partindo-se de vários ângulos, de forma milimétrica, permitindo ao especialista isolar cortes e fazer um mapeamento exato e minucioso das assimetrias faciais, reduzindo a níveis extremamente mínimos a possibilidade de erro em um diagnóstico. 

Segundo Raniere Sousa, se comparada com a radiografia convencional, a tomografia permite uma análise em três dimensões e de alta resolução, na forma de uma série de sensíveis cortes finos da estrutura óssea do paciente, sem as superposições de estruturas ósseas, muito comum naquele tipo de exame e que muitas vezes dificulta um diagnóstico mais preciso. “O exame, através da análise do Protocolo SEG, dá ao cirurgião dentista, por exemplo, a condição de mensuração de assimetrias esqueléticas e dentárias, localização exata de um dente retido ou até mesmo de um nervo, o que, em determinados casos, pode fazer uma diferença decisiva no diagnóstico do paciente, que muitas vezes passa anos em um determinado tratamento que não alcança a precisão exata nem o resultado esperado por equívocos no diagnóstico”. 

O uso do Protocolo SEG na tomografia computadorizada está entre os maiores avanços tecnológicos recentes da área, levando o diagnóstico por imagem a um patamar nunca antes alcançado na ortodontia. O resultado do exame dá a possibilidade de se manipular as tomadas tomográficas,  agrupa-las tridimensionalmente e se necessário até imprimir essas imagens e confeccionar um protótipo, podendo ser ainda aplicada em diversas outras áreas, com destaque para a ortopedia funcional dos maxilares, implantodontia e cirurgia bucomaxilofacial, permitindo melhor visualização e mensuração das estruturas ósseas nas três dimensões do espaço. “É a ortodontia do futuro que já é realidade”, garante Raniere Sousa

Fonte: Diogo Damasio