Marcílio Dantas no Alpendre do PN

13/01/2013

Por: Da redação do PN

Qual a avaliação que você faz da campanha?

O nosso desempenho foi gratificante, entremos de cara limpa, sem recursos, nosso orçamento foi pífio e nós tivemos 14% dos votos de um município na grande Natal disputando com três fortes grupos, incluindo de um ex-governador e senador e o grupo do vice-governador Robson Farias. Assim nós entramos em um embate forte, porém nós pontuamos, quando se pontua também se está semeando e quando se semeia, colhe-se no futuro. Estabelecemos nossa forma de ser, de fazer política como o nosso país exige hoje, uma política transparente, aberta e que dá a cara para críticas das pessoas, assim como propostas e ideias.Assim participamos da campanha em Ceará-Mirim e para nossa surpresa obtivemos mais votos na cidade doo que no interior, saímos derrotados eleitoralmente mas com esperanças boas para o futuro. Agora precisamos escolher novos grupos, buscar parceiros no contexto municipal e estadual.

O senhor concorda que a desunião da oposição foi o que provocou a vitória de Peixoto?

Com certeza. Peixoto se elegeu com 30% dos votos se tivesse havido qualquer tipo de união da oposição provavelmente Peixoto não seria o prefeito, ou seja, se o processo de terceira via que criamos em Ceará-Mirim tem ido até o final, nós teríamos ganhado a eleição. Infelizmente ocorreram ações extra compromisso entre os integrantes que fez com que a terceira via não chegasse ao fim e se tem chagado  provavelmente teria ganho.

 

A entrevista completa você confere no Jornal Potiguar Notícia segunda-feira nas melhores bancas.