Caminhada do Judiciário e do MPU para trânsito nas Avenidas Mor Gouveia e Prudente de Morais

24/08/2012


Os servidores do Poder Judiciário Federal do Rio Grande do Norte formado pelo TRT, TRE e Justiça Federal participam, na manhã desta sexta-feira (24), de uma grande caminhada em parceria com os servidores do Ministério Público da União compreendido pelo MPF e MPT como parte das mobilizações em protesto contra a falta de negociação da Presidenta Dilma as reivindicações das duas categorias que estão há seis anos sem reajuste salarial.



O governo acenou esta semana com uma proposta de reajuste salarial em três parcelas de 5% a serem aplicadas sempre nos meses de janeiro de 2013 a 2015. O percentual acumulado, índice com o qual o Planejamento trabalha, fica em 15,8%. Para a categoria esta é uma proposta absurda, uma afronta, pois não repõe nem a inflação dos últimos seis anos. Para se ter uma ideia, de acordo com levantamento do Sintrajurn - Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário Federal do Rio Grande do Norte - ao dividir os 15,8% em três parcelas chegará ao equivalente a meia cesta básica para o técnico judiciário e uma cesta básica ou uma cesta e meia para o analista judiciário, dependendo da região onde mora. A categoria teve o último reajuste em 2006.



Essa primeira contraproposta do governo desde o início da luta pelo PL 6613/09, que completa três anos, mostra que o movimento grevista do Judiciário Federal e do MPU, em conjunto com outras categorias do funcionalismo público, começa a surtir efeito. No Brasil, servidores do Judiciário estão em greve em 10 estados, são eles: Alagoas, Piauí, Maranhão, São Paulo, Mato Grosso, Santa Catarina, Bahia, Rio Grande do Sul, Distrito Federal e Minas Gerais. Em Natal, os servidores do MPU entraram em greve na última sexta-feira (17). O movimento em todo o país deve se intensificar nos próximos dias, considerando que o governo tem até o dia 31 de agosto para enviar o projeto final da Lei Orçamentária Anual de 2013 ao Congresso Nacional.



A caminhada desta sexta-feira contará com a presença dos servidores federais de outras categorias que também em greve ou em mobilização como INCRA, IBGE, Receita Federal, Polícia Federal, INSS, UFRN e IFRN entre outros.