A terça-feira de autodesgaste do bolsonarismo e do PSL

09/10/2019

Por: Cefas Carvalho
Foto: Bolsonaro e Luciano Bivar/Foto Agência Brasil
 
Resumindo a terça-feira no Bolsonarismo:
 
Em Recife militante do PSL pede foto com o "mito" (que é filiado ao PSL) e fala do partido, aí Bolsonaro diz que "não divulga isso aí, não, que Luciano Bivar (presidente nacional do PFL, que é pernambucano) e o partido estão queimados".
 
Aí uma ala do PSL se rebela, cobra respostas sobre o Caso Queiroz, ataca Bolsonaro e manifesta apoio a Bivar.
 
Depois o Delegado Valdir, líder do PSL na Câmara, diz: "Como você fala do quintal alheio se o seu quintal está sujo? As candidaturas em Minas Gerais e Pernambuco estão sendo investigadas. Mas o filho do presidente também".
 
Paralelamente o senador Major Olímpio, estrela do PSL paulista, se diz perplexo e bate boca com Flávio Bolsonaro dizendo que com ele "não tem mais conversa".
 
Isso em um dia.
 
Sem contar a briga feia da semana passada entre Joice Hasselman e Eduardo Bolsonaro, sim, ambos do PSL.
 
Em menos de um ano após Bolsonaro e o PSL vencerem e eleição para presidente e formarem bancada expressiva.
 
O PSL mal chegará à eleição de 2020 inteiro. Está se esfacelando.
 
Bolsonaro, que não tem nem cacoete para fazer política (nem mesmo entre aliados e partidários) também chegará a 2020 em farrapos.
 
Neste diapasão, realmente não há necessidade de oposição. Temos um governo e um partido que se desgastam por si sós.