Brasil vence Peru e conquista Copa América pela nona vez

07/07/2019


Foto: ESPN
 
Diante do maior público nesta Copa América e da maior renda da história do futebol nacional, o Brasil sagrou-se campeão do torneio ao derrotar o Peru por 3 a 1, neste domingo, na partida que marcou o retorno da seleção ao estádio do Maracanã após 84 jogos e também o primeiro título desde a Copa das Confederações de 2013. Foi a nona conquista continental brasileira na competição.
 
A exemplo da semifinal, o personagem do dia foi Gabriel Jesus. Ele deu a assistência para Everton Cebolinha abrir o placar aos 14 minutos do primeiro tempo. Depois, quando o jogo estava empatado, anotou o tento que mudou o placar para 2 a 1, aos 47 da etapa inicial.
 
Um gol e uma asisstência foi o mesmo que fez contra a Argentina, no triunfo por 2 a 0, há cinco dias, no Mineirão, em Belo Horizonte.
 
A diferença dessa vez foi que o atacante foi expulso aos 24 minutos do segundo tempo, quando cometeu falta em Tapia. Deixou o campo revoltado e acusado a arbitragem de roubo. Ainda deu um soco na cabine do VAR (árbitro de vídeo) na saída.
 
O terceiro tento do Brasil foi de pênalti, de Richarlison, aos 44 da etapa final, já sem Jesus em campo.
 
O gol peruano foi de um velho conhecido do Maracanã: Paolo Guerrero.
 
Ele quem converteu uma polêmica penalidade, aos 23. O lance teve longa revisão do VAR porque a bola tocou no braço esquerdo do zagueiro Thiago Silva, quando ele deu um carrinho para bloquear o cruzamento do meia Cueva.
 
Com a conquista, o Brasil amplia a galeria de troféus. Foi vencedor do torneio mais antigo do continente nove vezes: em 1919, 1922, 1949, 1989 (todas as edições citadas foram no país), 1997, 1999, 2004, 2007 e 2019. Jamais perdeu a taça em casa.
 
O Peru continua com dois troféus: 1939 e 1975. Os recordistas são Uruguai (15) e Argentina (14).
 
Até os dez minutos do primeiro tempo, o retrato do jogo apontava dois chutes ao gol do Peru contra nenhum do Brasil. Mais de 60% de posse de bola para os brasileiros e o restante para os peruanos. Um duelo confuso, pouco organizado.
 
Tudo mudou quando Gabriel Jesus recebeu o segundo lançamento no lado direito do ataque. Ele deu um drible espetacular em Trauco --o famoso lance de "vídeo-game"--, deixando o lateral do Flamengo perdido e cruzou na área. Cebolinha apareceu livre e finalizou.
 
O gol foi aos 14 minutos e a reação do técnico Ricardo Gareca resume o sentimento peruano: ele deu as costas para o jogo, voltou ao banco de reservas e, irritado, nem conversou com sua comissão técnica.
 
Na sequência, a seleção canarinho teve duas chances para ampliar. Aos 23, quando Coutinho finalizou dentro da área para fora. E, aos 35, em cabeçada de Firmino, que passou por cima do gol. O goleiro peruano não precisou fazer nenhuma intervenção nesses lances.
 
A partida esfriou e o público também. Foi preciso um susto para acordar a todos. Aconteceu aos 40 minutos.
 
Ao cortar um cruzamento de Cueva, Thiago Silva deu um carrinho e viu a bola bater em seu braço esquerdo. O árbitro chileno Roberto Tobar Vargar marcou a penalidade, mas resolveu consultar o VAR para esclarecer a marcação.
 
Demorou mais dois minutos e confirmou o que já havia apitado. A cobrança foi aos 42 no lado esquerdo de Alisson.
 
A torcida peruana começou a sua festa, enquanto a brasileira se calou. Mas a equipe de Tite reagiu rapidamente.
 
Aos 47, Firmino recuperou uma bola no campo de ataque, onde ele mesmo fora desarmado. Tocou para Arthur, que carregou até chegar perto da área até rolar para Gabriel Jesus. O jogador do City recebeu e finalizou. Dois a um no placar e fim do primeiro tempo.
 
Durante quase metade do segundo, a torcida não viu lances de gols, exceto um chute e uma cabeçada de Firmino, aos 8 e aos 11 minutos, respectivamente. O que se viu no Maracanã foi mais faltas, menos jogadas criadas e um ambiente tenso.
 
Após a expulsão de Gabriel Jesus, mais tensão em campo. Do lado brasileiro, receio de sofrer o gol. Do lado peruano, ansiedade para empatar.
 
A tensão diminuiu aos 44, quando Richarlison converteu uma penalidade para o Brasil. A infração foi marcada após Coutinho ser derrubado na área por Zambrano. O árbitro chileno ainda consultou o VAR e manteve a decisão.
 
FICHA TÉCNICA
 
BRASIL 3x1 PERU
COPA AMÉRICA 2019 - FINAL
DATA: domingo, 7 de julho de 2019
HORÁRIO: 17h (de Brasília)
LOCAL: estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
PÚBLICO: 69.986 presentes (58.584 pagantes + 11.402 não pagantes)
RENDA: R$ 38.769.850,00
ÁRBITRO: RobertoTobar Vargas (Chile)
ASSISTENTES: Christian Schiemann Alonso (Chile) e Claudio Rios Ortiz (Chile)
GOLS: Everton Cebolinha (BRA), aos 14 min, e Paolo Guerrero (PER), aos 42 min, e Gabriel Jesus (BRA), aos 47 min do 1º tempo; Richarlison (BRA), aos 44 min do 2º tempo
CARTÃO AMARELO: Gabriel Jesus, Richarlison e Thiago Silva (BRA); Advíncula, Tapia e Zambrano (PER)
CARTÃO VERMELHO: Gabriel Jesus (BRA), aos 24 min do 2º tempo
 
BRASIL: Alisson; Daniel Alves, Thiago Silva, Marquinhos e Alex Sandro; Casemiro, Arthur e Philippe Coutinho (Militão); Gabriel Jesus, Roberto Firmino (Richarlison) e Everton Cebolinha (Allan). Técnico: Tite
 
PERU: Gallese; Advíncula, Zambrano, Abram e Trauco; Tapia (Christofer González)), Yotún (Ruidiaz) e Carrillo (Andy Polo); Cueva, Guerrero e Flores. Técnico: Ricardo Gareca

Fonte: Francisco De Laurentiis, Rafael Valente, Thiago Cara/ ESPN