Parnamirim

Parnamirim: Cidade acolhedora e amorável para se morar

Empresário e ex-presidente do PT no município, que é angicano, escreve sobre Parnamirim, terra onde se casou, teve filhos, trabalha e milita politicamente.

Por: José Amorim
15/01/2018

Foto: Redação do PN
Sou filho natural de Angicos, município da região central do nosso Estado, onde vivi a infância, adolescência e parte da fase adulta. Cidade que nutro profundo amor, lá fiz amizades, amigos, construir laços fortes de companheirismo e aprendi lições com meus pais, familiares e, que carrego comigo para toda uma vida. Casei-me com a professora Marizete Paulino, dessa união tivemos a graça e alegria de termos dois belos filhos; Oscar e Matheus, hoje homens casados, Oscar paí de um filho que desfruto da alegria de ser avô de um cabrinha lindo chamado José Gabriel.
 
No ano de 1985, comecei a trabalhar como servidor público estadual no 7º NURE, hoje 8ª DIREC, paralelamente também iniciei minhas atividades políticas em meados da década de 80 na luta coletiva, onde fiz movimento sindical e encarei o desafio da categoria de ser coordenador da 7ª Regional do SINTE RN. Lutas travadas e marcadas pelas grandes greves nos governos de Geraldo Melo e José Agripino. Lutas que valeu e vale uma vida. Em 1988 pude contribuir na fundação do PT – Partido dos Trabalhadores, partido que milito até hoje, inclusive trazendo minha filiação para Parnamirim.
 
Em 1992 por força das circunstâncias dei início labutar na iniciativa privada no seguimento de “Transporte Rodoviário de Cargas” na cidade de Assú, onde lecionava matemática a noite no Colégio Juscelino Kubistchek, conhecido como: JK, onde residi até julho de 1994, cidade que deixei uma plêiade de amigos que me marcam por toda a vida.
 
Cheguei em Parnamirim dia 1º de agosto de 1994 e,  começamos morar no bairro de Emaús, onde trabalhava a noite na Escola Eliah Maia do Rêgo e durante o dia trabalhando no Seguimento de Transporte Rodoviário de Cargas, como fazia na cidade de Assú.
 
No ambiente relacionado ao trabalho de transportes mantenho relações com muitas empresas de vários seguimentos no mercado desde indústrias a pequenos e médios negócios. Como costume me definir -  sou um homem que gosto, digo melhor, tenho um verdadeiro fascínio pela política na acepção da palavra por ela. Entendo como instrumento único de transformações e desenvolvimento de uma sociedade. Dessa forma, recebi o convite de companheiros comecei a participar das reuniões internas do PT local, agremiação que tive a honra de presidir como presidente por 02 (dois) mandatos: de 2007 a 2009 e 2009 a 2013, onde em 2007 o partido decidiu em sua estratégia política não lançar candidatura própria e seguir  para o campo de aliança, onde fechamos aliança com o grupo político liderado pelo saudoso prefeito Agnelo Alves, onde demos nossa contribuição como agremiação para eleger o prefeito Mauricio Marques dos Santos.
 
O Rio Grande do Norte tem demonstrado ao longo do tempo sua vocação para o setor têxtil e em Parnamirim estava instalado o seu maior núcleo industrial, aqui contávamos com: Sulfabril, Sperb, Texita, Tec Blu = Tecelagem Blumenau, todas foram sendo desmontadas, fatores externos devem ter contribuído, o parque industrial não mais existe, os postos de trabalhos todos fechados. Na contramão desses fatores veio uma forte onda do crescimento imobiliário o resultado que podemos observar: são áreas antes ocupadas por fábricas, agora são terrenos em sua grande parte preenchidas por conjuntos residenciais, entretanto, não obstante, Parnamirim tem apontado um crescimento demográfico acelerado nas últimas décadas.
 
Ao longo desse meio quarto de século venho habitando nossa querida Rio Pequeno, cidade de uma característica cosmopolita com muitas adversidades, desafios, convergências e conveniências, que do seu hodierno procuro zelar e cuidar, Parnamirim merece e precisamos continuar nessa cidade a morar.