Em entrevista coletiva, Biden afirma que ofereceu vacinas para a Coreia do Norte

23/05/2022


Foto: wionews.com

 

Neste domingo, em entrevista coletiva em Seul, capital da Coreia do Sul, Joe Biden, presidente dos Estados Unidos, comentou acerca do surto de covid na Coreia do Norte e informou que ofereceu as vacinas para o país liderado pelo ditador Kim Jong-un. De acordo com o mandatário, a oferta de ajuda do governo norte-americano foi negada.

 

Biden, que está pela primeira vez em viagem pela Ásia como presidente, ressaltou que, além de ter colocado à disposição os imunizantes para conter a pandemia na Coreia do Norte, ofereceu também a mesma ajuda para a China. “[Dos Estados Unidos] oferecemos vacinas, não apenas para a Coreia do Norte, mas também para a China, e estamos preparados para fazer isso imediatamente, mas não obtivemos resposta”, disse o mandatário.

 

Em consonância com Yoon Suk-yeol, presidente da Coreia do Sul, Biden salientou que o auxílio proposto aos vizinhos do Norte representa “princípios humanitários”, levando em consideração o precário sistema de saúde do país. Apesar da iniciativa, ambos os líderes indicaram que também pretendem reforçar sua vigilância militar em relação às ameaças constantes estabelecidas pelo governo norte-coreano.

 

A imprensa estatal norte-coreana informou, ainda no último sábado (21), que cerca de 2,5 milhões de pessoas estavam doentes, apresentando febre, e que, até o momento, 66 mortes foram registradas. Conforme noticiado pelos veículos oficiais de comunicação, o governo teria intensificado sua campanha sanitária.