"Se não pararmos a Rússia, vamos perder a Europa Oriental inteira", afirma Zelensky

13/04/2022


Foto: poder360.com.br

 

Em um discurso ao Parlamento da Estônia, nesta quarta-feira, o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, voltou a promover acusações contra as tropas russas que estão no território de seu país. De acordo com o mandatário, o exército adversário, de maneira forçada, já levou mais de 500 mil ucranianos para regiões diferentes da Rússia. 

 

Como justificativa à sua afirmação, Zelensky explica que os militares russos confiscam documentos e objetos pessoais de civis ucranianos, antes de mandá-los para locais remotos do seu país. Além disso, o presidente ainda enfatizou que crianças estão sendo separadas de seus pais e mandadas, de forma ilegal, para adoção por famílias russas. 

 

Conforme dados apresentados por um portal criado pelas Nações Unidas para reunir as informações dos refugiados do conflito, mais de 433 mil ucranianos fugiram para a Rússia desde o início do conflito em 24 de fevereiro. O Ministério das Relações Exteriores da Rússia não confirmou ou desmentiu as acusações feitas por Zelensky. 

 

Ainda no decorrer da sua exposição no parlamento estoniano, Zelensky mandou uma mensagem para a OTAN e os países do ocidente, afirmando que é preciso impor limites a Moscou devido a um suposto projeto imperialista de Vladimir Putin. "Podemos parar a Rússia ou perder a Europa Oriental inteira. Se a Europa perder tempo, a Rússia irá expandir a zona de guerra para outros países", disparou.