TURISMO, Reencontro com Amigos a Roteiros Especiais…

08/04/2022

Por: Liliana Borges
Foto: Liliana Borges

TURISMO, Reencontro com Amigos a Roteiros Especiais…

Sempre é gratificante reencontrar amigos e, ainda mais, nas Terras Lusitanas quando os encontros são acompanhados pelas iguarias portuguesas e regados pelos seus maravilhosos vinhos são simplesmente magistrais. Tive o privilégio de ciceronear alguns queridos conterrâneos que ficaram hospedados em Montijo a cerca de 34 km de Lisboa na sua Região Metropolitana.

Esta graciosa cidade se assemelha a um grande condomínio, urbanizado com vias largas; ciclovias; rotatórias aqui nominadas de rotundas que facilitam o trânsito a fluir livremente; seus prédios são limitados a quatro ou cinco andares; centros comerciais; segurança; transporte até o fluvial com a travessia do Rio Tejo, enfim um município com aproximadamente 55.000 habitantes possui estrutura compatível a organizados grandes centros urbanos.

Na sequência fomos visitar o Castelo de Palmela que ativa todos nossos sentidos desde a edificação que conta naturalmente sua história, a suntuosa vista panorâmica de grande parte do Distrito de Setúbal e, ainda, desfrutamos de um delicioso almoço no próprio castelo na Taverna Medieval “Bobo da Corte”, onde apreciamos suas especialidades gastronômicas banhado de um bom vinho da região com um excelente atendimento, saltando os olhos sua graciosa decoração que juntos tornam o restaurante fabuloso. 

No início da noite fomos à Alcochete a cerca de 5 km do Montijo, a cidade que nasceu D. Manuel I (1469-1521), “O Venturoso”, na altura a monarquia passou a residir na localidade devido a epidemias que assolavam a capital, cidade portuária. Seu reinado foi bastante afortunado, pois foi o período das grandes descobertas que proporcionou renovação artística e cultural ao país, marcado pela criação do estilo manuelino. 

 A localidade está as margens do Rio Tejo que no entardecer podemos apreciar um dos mais belos espetáculos da natureza, o pôr do sol, ao longo do “Passeio do Tejo”. Aproveitamos para assistir o jogo Portugal X Turquia no “Alcach Bar”, lugar bastante agradável e acolhedor. Em outra oportunidade, também, mereceu uma visita ao “Outlet Alcochete - Freeport”

Um dia mais adiante, atravessamos o Tejo de barco para visitar o Centro Histórico de Lisboa em confortáveis “tuk tuks”, encerramos ao cair da noite no maravilhoso “Mercado da Ribeira”, onde é possível saborear a alta culinária portuguesa por renomados chefes por preços justos, como também, muito diversificada para todos os gostos e bolsos, tudo isto em um ambiente descontraído frequentado por gente de todo o mundo. Espetacular…

Em outro momento fomos à Vila Nogueira de Azeitão, aproximadamente 30 Km do Montijo e 35 km de Lisboa. A região é produtora de vinhos, azeites, queijos titulados de várias premiações e renomados mundialmente. A localidade está situada a empresa de vinhos de mesa mais antiga de Portugal fundada em 1834, José Maria da Fonseca Vinhos S.A, produz entre suas marcas mais conhecidas a “Periquita”. 

Administrando o tempo disponível optaram por uma visita guiada ao Palácio, Museu e Quinta da Bacalhoa. Além da viagem ao mundo dos vinhos com seu cheiro e sabores é possível percorrer o palácio com inúmeras obras de arte, história e cultura a flor da pele, mais o espaço de exposição com uma galeria dedicada à arte africana, como também, outra voltada a azulejaria relativa ao século XVI ao XX, ainda, acrescido recentemente uma exposição dedicada à obra de três artistas judeus que foram marcados pelo Holocausto, nominada “Geração Esquecida”. Imperdível…

Seguimos até Sesimbra distante apenas 16 km de Azeitão, cidade litorânea construída nas encostas e falésias que vem descendo até o longo da beira mar com belas praias, muitos cafés e restaurantes aconchegantes. Almoçamos no “Tap House” em uma das pontas da Fortaleza de Santiago, restaurante com muitas delícias além de uma vista deslumbrante do Oceano Atlântico e da cidade.

Visitamos externamente a fortaleza edificada entre 1642-1649, se desejar conhecer seu interior o bilhete dará também acesso a Capela dos Mareantes, onde foi encontrado no piso inferior, provavelmente soterrado no terremoto de 1755, um hospital medieval em que suas paredes possuem grafitos de embarcações relacionados aos séculos XVI ao XVIII, marcas da vivência marítima. A região foi um importante centro no período das navegações. 

Voltando à Lisboa, não poderia os deixar sem conhecer o restaurante “Palácio Chiado” na rua do Alecrim, o palácio pertenceu ao Barão de Quintela, quem foi um próspero comerciante e financiou a causa de D. Pedro IV, nosso D. Pedro I, contra seu irmão Miguel. O local foi marcado por famosas e noticiadas festas, uma delas foi o baile oferecido em sua homenagem e seus oficiais do exército em 1833.

Entre tantas mais, as grandiosas e luxuosas festas proporcionadas por Junot que fez seu Quartel General durante a invasão francesa em 1807, surgindo a expressão “À grande e à francesa!”. Almoçar ou jantar em um lugar deste vai ainda mais além do que saborear suas iguarias preciosas como imaginar o que ali se passava ao longo do tempo admirando suas paredes e tetos cobertos por belas obras de arte. Simplesmente sensacional…

Mais adiante em outro momento, não poderíamos perder o jogo Portugal x Macedônia do Norte que valeu a vaga para participação da Copa do Mundo de Futebol 2022 no Catar, no qual Portugal foi vitorioso. Assistimos na “Adega do Canário” na Baixa de Lisboa um ambiente muito divertido com muitos torcedores. 

Roteiros de viagens realizados em harmonia com diversão, amigos ou familiares, descobertas, cultura e história sempre haverá momentos inesquecíveis e, talvez, até “pagar mico” que será motivo de boas risadas …

A melhor viagem não necessariamente será a mais cara, a mais longe ou a mais longa, e sim a que nos deixe a sensação de flutuar nas nuvens em companhia da nossa imaginação, assim, guardaremos na memória por toda a vida…  

Confira o vídeo sobre a matéria no meu canal no YouTube: LILIANA BORGES EM PORTUGAL

https://youtu.be/WdYQ7TouSNA