Ministro da Justiça determina “medidas cabíveis” contra filme de Fábio Porchat e Danilo Gentili

14/03/2022


Foto: Reprodução

 

Ministro da Justiça determina “providências cabíveis” contra filme de Fábio Porchat e Danilo Gentili no catálogo da Netflix com cena acusada de incentivo à pedofilia

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, se manifestou em suas redes sociais, neste domingo (13), acerca do filme exibido pela Netflix e determinou que os vários setores do ministério “adotem providências cabíveis para o caso”.

Torres se refere ao filme “Como se tornar o pior aluno da escola”, de 2017, mas que passou a ser exibido pela Netflix desde 7 de fevereiro deste ano. De acordo com o ministro, o longa possui “detalhes asquerosos”

Nos últimos dias, o filme tornou-se alvo de críticas nas redes sociais por incentivar a pedofilia, na visão de muitos internautas. Os humoristas Danilo Gentili e Fábio Porchat se tornaram alvos dos comentários e ficaram entre os assuntos mais comentados do Twitter neste domingo (13) com acusações de incentivo à pedofilia. A plataforma de streaming também foi alvo de críticas.

Na cena polêmica, o personagem de Fábio Porchat sugere que os garotos o masturbem e os chama de preconceituosos e retrógrados ao negarem o pedido.

Quando lançado, o longa-metragem já havia sido alvo de polêmica por uma cena de cunho sexual que envolve Porchat e dois meninos. Em “Como se Tornar o Pior Aluno da Escola”, Fabio Porchat interpreta Cristiano, um homem com desvios sexuais e dono do caderno que o ex-colega (papel de Danilo Gentili) roubou na escola para escrever o guia de “pior aluno”, encontrado pelos protagonistas Pedro (Daniel Pimentel) e Bernardo (Bruno Munhoz).