“O mundo desenvolvido clama pela representatividade feminina”, afirma senadora Zenaide Maia

08/03/2022

Por: Otávio Albuquerque

 

Nesta terça-feira, na homenagem da TV Potiguar Notícias ao Dia Internacional da Mulher, a jornalista Andrezza Tavares entrevistou a senadora Zenaide Maia (PROS), que falou sobre a importância da data, além da questão da representatividade feminina na política e em outras instâncias da sociedade. A parlamentar relembrou, ainda, os 90 anos da instituição do voto feminino no Brasil. 

 

De acordo com a parlamentar, o direito ao voto foi uma importante conquista das mulheres, sobretudo no que se refere à inserção feminina nas tomadas das decisões e, consequentemente, no processo democrático. Nomes como Maria do Céu Pereira Fernandes, primeira deputada estadual eleita no Rio Grande do Norte, bem como Alzira Soriano, primeira prefeita de um município na América Latina, em Lajes-RN, foram mencionadas pela senadora como exemplos de pioneirismo no que concerne à luta pela consolidação do espaço político destinado às mulheres. 

 

No que se refere à representatividade político-partidária que as mulheres dispõem no cenário contemporâneo, Zenaide assume um posicionamento crítico, estabelecendo uma comparação entre a bancada feminina e a masculina no Congresso Nacional. “Nós temos subrepresentatividade nos postos de poder. Se levarmos em consideração o contigente feminino no parlamento, temos apenas 15%, algo que é inaceitável se imaginarmos que as mulheres são maioria no país”, salientou a parlamentar

 

Ainda no que tange à disparidade entre homens e mulheres no universo político, a senadora cita, como possibilidade de resolução do problema, um projeto de autoria do senador Fabiano Contarato (REDE-ES), cuja finalidade é aprimorar a legislação trabalhista, favorecendo a igualdade entre os empregados homens e mulheres, além de uma reordenação do processo de eleição para as casas legislativas, o qual teria, segundo a proposição, 50% de vagas divididas entre os gêneros. 

 

“Eu queria chamar a atenção da sociedade de que o mundo desenvolvido clama pela representatividade feminina. Nas discussões com os colegas parlamentares, eu costumo dizer que os homens precisam pensar na responsabilidade deles, principalmente se analisarmos que mais da metade da população brasileira é formada por mulheres, fato que deve ser levado em consideração no preenchimento dos cargos públicos e eletivos”, ressaltou a ex-deputada federal.

 

Por fim, como forma de ratificar seu posicionamento acerca da falta de representatividade da mulher no âmbito público e institucional, Zenaide, que também foi secretária de Saúde do município de São Gonçalo do Amarante, enaltece a importância da instância política. “É o lugar das tomadas de decisões. É do Congresso Nacional, por exemplo, de onde saem as resoluções trabalhistas e reformas estruturantes que interferem decisivamente na vida dos cidadãos. Nesse sentido, é preciso que as pessoas, sobretudo as mulheres, se candidatem, participem da vida pública, porque é de lá que podem surgir as mudanças necessárias para acabar com as diferenças entre homens e mulheres nas mais diversas esferas”, concluiu.